terça-feira, janeiro 25, 2011

Os Custos da Inutilidade e Agora Também da Vingança

A figura de Presidente da República é desnecessária e apenas serve para aumentar o ego e as contas bancárias dos candidatos e ainda mais do candidato que vence as eleições, neste caso o Cavaco Silva.
No discurso de Cavaco logo que ganhou as eleições com 2230240 votos, (que é mais ou menos o que o Tiririca conseguiu sózinho no Brasil para deputado federal), além do aumento do ego, o reeleito presidente, acrescentou um elemento que não tinha aparecido nos outros anteriores presidentes eleitos-A VINGANÇA !- A "vil campanha" que "denegriu" a imagem imaculada do presidente tem por trás a mão de jornalistas e gente má, que impediram Cavaco de ter mais votos e isso ele não perdoa porque é vingativo, muito vingativo !
O que Cavaco não explicou foi quem lhe vendeu as acções do BPN, quem lhe disse depois para as vender antes que o BPN falisse e porque é que teve como patrocinador da sua campanha eleitoral de 2006, gajos que agora estão a contas com a justiça devido a crimes especulativos no BPN, na SLN e em tudo o que orbitava em volta destes antros de criminosos.
Se Portugal fosse um País onde existesse alguma justiça funcional, Cavaco Silva teria de ser impedido de concorrer às eleições só por estes factos não terem sido convenientemente explicados pelo próprio que sempre nos remetia para uma página na internet que nada explica !
Aqui em Portugal além de ganhar as eleições de novo, Cavaco ainda tem direito a exigir vingança e a ganhar 2 milhões de Euros de subvenção estatal.

O facto é que Cavaco ganhou por 53% num universo de votantes onde apenas votaram 47% dos eleitores inscritos, teve menos 500 mil votos que nas últimas eleições e se já tinha pouca legitimidade, agora tem menos ainda, eu como alguns milhões de Portugueses, não votei Cavaco e mesmo quem votou nele não votou para ele andar com conversas da treta sobre denegrir imagem dele e da mulher dele. Ganharam o dinheiro com as acções e isso é que conta, muitos outros que também investiram nas mesmas acções perderam e muito, porque NÃO TINHAM AMIGOS INFLUENTES QUE LHES INDICASSEM QUANDO AS DEVERIAM VENDER !

Cavaco Silva é por lei obrigado a fazer que governa para todos os Portugueses mas como presidente tem poderes muito relativos, o mais importante é o poder de dissolução da Assembleia da República, por isso se quer fazer alguma coisa comece por dissolver a Assembleia da República para que o Povo decida já numa nova votação, o que quer para Portugal, porque com este estilo de agressividade verbal por um lado e depois viabilizando Orçamentos de Estado e impedindo com isso a queda do governo, apenas fica mais e mais descredibilizado, num emprego sem credibilidade que é ser Presidente da República, num sistema que nem Parlamentar é, apenas governamental.