quinta-feira, janeiro 31, 2008

Efectivamente


Depois de ter lido o artigo de hoje do vereador Luís Nascimento no Jornal da Moita e na sequência de texto de cariz similar do vereador Vítor Cabral, se calhar concordo com uma teoria que se vai espalhando: a porcaria em que o poder moiteiro se excedeu nesta última meia dúzia de anos exige que sejam as forças políticas que o suportam a limpá-la.
Que interesse tem para a Oposição conquistar uma Câmara completamente nas lonas, sem qualquer rumo político, vulnerável a certos e determinados interesses privados e incapaz de fazer obra própria nos próximos anos, tamanhos serão os encargos do empréstimo contraído para obras de fachada?
Repensando a estratégia do AVP, se calhar o melhor mesmo é - em especial com a nova lei autárquica que parece vir aí - deixar o poder moiteiro a si mesmo e a Oposição não comparecer e deixar o Partido do Colectivo Joanino desenmerdar-se do buraco em que meteu isto.
Quando a Alhos Vedros já estou como o AV2, o melhor é mesmo a secessão e não querer mais nada com esta gente.
Penso eu de que.

AVP Bibliófilo



O que poupam num (LA Confidential, 1 euro com a Sábado) podem investir no outro (cerca de 20 euros no Modelo para O Ataque à Razão).
De um lado o excelente livro que deu origem a um excelente filme com uma belíssima Basinger.
Do outro o excelente livro de um político que soube reinventar-se e erguer-se de uma derrota forjada na secretaria.
Ao contrário dos gulosos pelo poder, Al Gore deu uma lição de postura a todos os políticos menores do mundo actual.
Se quisesse, seria agora com facilidade um Presidente eleito com larga maioria nos EUA.
E apesar disso mudou de prioridades.
Há quem não o compreenda.
'Tadinhos.

É Carnaval, ninguém lê ou leva a mal!

O nosso mestre local em diversas sabedorias, o verdadeiro émulo do antigo boneco do jogo O Sabichão voltou a escrever esta semana (Jornal da Moita, p. 6) sobre assuntos que domina muito bem ou quase tão bem como eu domino a hermenêutica kantiana numa perspectiva pós-moderna.
Sobre a co-incineração temos uma coisa em comum (discordamos da sua localização na Secil e do que representa de atentado ambiental em plena zona protegida) e outra que nos divide muito: o facto de eu não mudar de opinião conforme os ventos partidários.
Pois não é que Nuno Cavaco agora defende muito a existência dos CIRVER, criação interesssante dos tempos do Governo PSD barrosista, e acha que essa é a solução ideal?
Claro que quando foi da discussão em torno dos CIRVER, o principal problema que se colocou foi o da sua indesejada localização.
Mas NC tem a solução fácil ditada de cima:

«O problema da localização também seria facilmente resolvido porque a construir os CERVIR [sic] estes poderiam ser situados em áreas ponderadas, que não colidissem com o interesse público e desenvolvimento regional, junmto á fonte produtora/poluidora, cumprindo assim o princípio ambiental do tratamento/valorização destes resíduos perto do local onde são gerados, reduzindo assim os riscos inerentes ao transporte dos resíduos industriais perigosos».

Isto até parece um parágrafo bonito e articulado, só sendo pena que NC não defina o que são «áreas ponderadas» ou concretize com um exemplo que demonstre na prática a exequibilidade da sua posição.
E NC, do alto da sua sabichiche esquece-se é de dizer que estes resíduos só são efectivamente rentáveis se tratarem quantidades significativas de resíduos, sendo que isso não se resolve com um CIRVER acoplado a cada indústria ou fonte poluidora.
Seguindo essa ideia deveríamos ter uma ETAR por cada freguesia ou bairro mais populoso, não se percebendo a solução de ETAR's pluri-concelhias.
Mas claro que a NC não interessa, na sua argumentação, ser coerente com nada que não seja a luta política.

Para quem quiser uma introdução ao tema, rápida mas devidamente informada, pode sempre ir aqui.

Quantas são "várias"?



Cá para mim quer-me parecer, que não fui lá, que deveriam existir quase tantos elementos na mesa como na assistência.
Mas como foi o poder moiteiro joanino bicéfalo a promover esse é apenas um detalhe.

Carnaval de Alhos Vedros



O Carnaval da Velhinha aí está de novo, no Domingo e Terça. Este ano sem o seu Rei eterno, o Vitor Cabral, que desde 1992 foi sempre o organizador do Corso Carnavalesco. É por isso que a expectativa é grande de saber como a monarquia carnavalesca sobrevive sem o monarca. Aqui no AVP, ainda se sente saudades dos tempos quando não havia Corso e a Anarquia reinava durante o Carnaval na Vila de Alhos Vedros. Belos Tempos !

AVP Musical



A letra disto é de arrasar...

quarta-feira, janeiro 30, 2008

Anita - Novos Títulos

O rigor acima de tudo!

Do Democracia em Portugal?:

Afinal foram só 9,732 milhões

As notícias que dão conta da desumanidade das juntas médicas são manifestamente exageradas. Afinal há quem não se queixe das mesmas.
Ontem mesmo, em carta enviada ao Público, Paulo Teixeira Pinto indica que passou “à situação de reforma em função de relatório de junta médica”.
Certamente ainda mal refeito da forma como foi corrido do BCP e da Opus Dei, este banqueiro de 46 anos foi considerado inapto para o trabalho, apesar de já ter arranjado um cargo numa consultora financeira.
Teixeira Pinto nega ter recebido 1o milhões de euros de "indemnização pela rescisão do contrato” com o BCP, garantindo que apenas recebeu a “remuneração total referente ao exercício de 2007”: 9.732 milhões de euros em "compensações" e "remunerações variáveis". Estas juntas médicas são as mesmas que recusam reformas a Professores com Cancro.

terça-feira, janeiro 29, 2008

AVP Musical

Dois novos malandros no lugar dos outros dois malandros

Sócretino, na altura em que o Bastonário da Ordem dos Advogados estava a discursar, e diga-se que estava a ser incisivo e a meter o dedo nas feridas, escolheu esse preciso momento para nos noticiar que os ministros da Saúde e da Cultura tinham sido destítuidos e agora estavam no lugar desses vizires outros dois Iznogouds, como se isso fosse algo de importante. Sócretino o ditador moral-fascista da UNS é que é o dono da maralha toda e ele é que é o grande culpado, e ele é que é o grande traidor da Pátria, por isso esta política anti-social vai continuar, só mudaram as moscas.
Como isto não tem importância nenhuma, aqui está o que disse Marinho Pinto, pois de certeza todos os arquistas vão apenas falar da remodelação ministerial, e as sábias palavras do Bastonário vão por isso cair no grande limbo dos merdia portugueses.

"Bastonário: Grupos restritos fazem negócios milhões ...(act.)O bastonário da Ordem dos Advogados disse hoje que se «fazem negócios de milhões com o Estado», cujo objecto são bens do património público, «quase sempre com o mesmo restrito conjunto e pessoas e grupos económicos privilegiados».
«Muitas pessoas que actuam em nome do Estado e cuja principal função seria acautelar os interesses públicos acabam mais tarde por trabalhar para as empresas ou grupos que beneficiaram com esses negócios», afirmou António Marinho Pinto no discurso de abertura do Ano Judicial, que decorre no Supremo Tribunal de Justiça, em Lisboa.
Na mesma linha das polémicas declarações proferidas sexta-feira e que levaram o Procurador-Geral da República a abrir um inquérito, o bastonário insistiu que «há pessoas que acumularam grandes patrimónios pessoais no exercício de funções públicas ou em simultâneo com actividades privadas, sem que nunca se soubesse a verdadeira origem do enriquecimento».
No entender de Marinho Pinto, todos estes factos provocam «um sentimento generalizado na sociedade portuguesa de que o sistema judicial é forte e severo com os fracos, e fraco, muito fraco e permissivo com os fortes».
Há «uma criminalidade de colarinho branco que se pratica quase impunemente na sociedade portuguesa», disse.
Voltando à carga, Marinho Pinto refere que «nas empresas que prestam serviços públicos de grande relevância social, como nas comunicações postais, energias e telecomunicações, perdeu-se há muito o sentido de servir o público em benefício de estratégias que privilegiam vantagens para os accionistas».
Num retrato da sociedade portuguesa, o bastonário referiu também que «grande parte do país - pessoas e empresas - trabalha para os bancos que acumulam lucros tão escandalosos quanto os benefícios fiscais de que gozam».
Lembrou que, num «país de extremos» (ricos e pobres), os «titulares de alguns serviços e instituições públicas auferem, em Portugal (que é um dos países mais pobres da União Europeia) remunerações superiores às das suas congéneres de outros países bem mais ricos».
«Existe na sociedade portuguesa um sentimento generalizado de que a corrupção e o tráfico de influências - dois dos delitos que mais ferem o Estado de Direito - sem entranharam nas estruturas do Estado«, salientou.
Observou que »não há uma obra pública, seja qual o seu valor, que seja paga, afinal, pelo preço que foi adjudicada«.
O bastonário considerou que a Assembleia da República »degrada-se com a insuportável teatralização e a falta de autenticidade dos seus debates públicos«.
Num discurso bastante crítico, Marinho Pinto afirmou, igualmente, que nunca se percebeu por que »é que a última lei da amnistia e perdão de penas perdoou parte das penas por crimes de abuso sexual de menores e já não o fez me relação a outros delitos bem menos graves«.
Numa alusão à reforma executiva, o bastonário criticou a privatização de sectores da Justiça »em que o Estado entregou a agentes privados a cobrança de dívidas resultantes de decisões dos tribunais, com nefastas consequências«.
«As dívidas já não se cobram nos tribunais, mas sim com recurso a empresas privadas ou então através de métodos criminosos», frisou, lembrando que «mais de uma dezena de pessoas, contabilizada em meados de 2007, cumpria penas de prisão por tentar cobrar dívidas à força».
Na sua intervenção, Marinho Pinto criticou ainda a desjudicialização da Justiça, o sistema de defesas oficiosas/apoio judiciário e o futuro mapa judiciário que, em seu entender, «concentrará a Justiça em grandes centros urbanos».
Diário Digital / Lusa "

"Catolicismo" e "Comunismo"

Estava a pensar em escrever um post sobre o discurso do Bastonário da Ordem dos Advogados, que foi excelente, mas depois o Sócretino demitiu o ministro da Saúde e a ministra da Cultura para que os Media se esquecessem das sábias palavras do Bastonário e apenas reparasse nos dois idiotas que tinham sido substituidos por dois novos idiotas, para nos continuarem a lixar com a mesma política moral-fascista e anti-social deste governo de traidores da Pátria, quando reparo num pequeno post do Brocas, que isso sim, me fez comentar nesse granda blogue do meu amigo...comentei tanto, que achei que até dava um post aqui no AVP, aqui vai:

"Os "comunistas" têm em comum com os "católicos" a ideia de universalidade, quando ambas as ideologias são locais, o cristianismo nasceu na Palestina e depois quando os Romanos a tornaram a religião oficial, no séc III, e os Cristãos se tornaram poder vai de a tornar universal, que é o que significa a palavra católica, daí a querer torná-la única foi um passo e vai de combater os infiéis, até hoje.O "comunismo" é uma ideologia que nasceu na Alemanha, antes chamáva-se "social-democracia", foi criada por um Judeu, Karl Marx e posta em prática por outro judeu, não na Alemanha onde ele residia, mas na Rússia donde tinha vindo, o Lenine. Começou por ser uma ideia de revolução local, na Rússia e depois com o Trotsky, também se quis tornar universal, veja-se o que está escrito logo embaixo do título do Avante!
Tanto o catolicismo como o comunismo, se se tivessem mantido religiões locais, seria todo o mundo que teria a ganhar...Agora imaginem a audácia duma religião que foi inventada no planeta Terra dar-se ao exagero de querer ser Universal e Cristo que até era um anarquista, ou seja um comunista libertário, ser o filho de Deus de todo o Universo, são estas coisas que Deus nunca perdoará aos cristãos e já agora a todas as religiões que pretendam ser as únicas neste Universo onde só conhecemos ainda vida no planeta Terra. Um bocadinho de humildade só lhes fazia bem. Quanto ao "comunismo", logo que chegou ao poder na Rússia tinha de abdicar do poder, isso é que era ser Comunista, mas não contente com a desgraça que deram aos Russos, começaram a ser também um império e a criar satélites por todo o lado, levando essa religião ao descalabro não só da Rússia como de metade da Europa e criando guerras no Continente Africano. Tudo por causa de não se terem deixado ficar quietos lá na Rússia a brincar aos amanhãs que cantam, até aqui por causa desssa religião estamos atrasados 34 anos em relação ao resto do País, que está atrasado 34 anos em relação à Europa, também devido a esses dois males, o Catolicismo e o Comunismo, um porque se tornou a religião do Estado Novo e o outro porque se tornou o grande alibi para Salazar fazer perdurar o seu regime, em nome da luta contra os infiéis, que eram os "comunistas"."

A remodelação

Para mim é como se não tivesse existido.
Substituir um secretário de Estado que dizia estar de partida desde o Verão, uma ministra que só ganhava em ser invisível e um ministro completamente destroçado perante a opinião pública, mais do que sinal de renovação é um sinal de incapacidade.
Os discursos dos partidos da oposição em relação a isto revelam o mesmo tipo de falta de imaginação e de capacidade de resposta.
Estamos pior do que nos tempos do pântano.

A Rita ganha de goleada



Depois de toda a publicidade à volta do tunning da Luciana Abreu e da sessão fotográfica para a FHM, o resultado é pouco acima de tristonho.
A miúda pode estar loura e com uns airbags melhorados, mas ninguém dá por nada mais sexy que um carapau seco ao sol da Nazaré.
Já na Maxmen, carambas, a Rita Andrade continua viçosa como tudo.

segunda-feira, janeiro 28, 2008

Alguém notou alguma melhoria...




... nos acessos "melhorados" entre Alhos Vedros e a Baixa da Banheira e vice-versa?
Ou alguém acha que as obras feitas foram feitas de forma bem planeada e calendarizada, para interesse dos utentes e não obedecendo apenas à urgência inicial dos interesses comerciais?
Será que alguém acha razoável que poucos meses depois dos "melhoramentos" terem sido feitos já esteja tudo neste estado?

Não me lixem que a culpa não é sempre dos "outros"!
Seja a pé ou de pópó a ida de Alhos Vedros ao Modelo ou ao Lidl tornou-se um completo martírio.
Digam-me o que disserem mas isto é mesmo incompetência pura e dura.

(mais fotos no Brocas Vetus)

Assim não pode ser, camaradas da oposição

Vá lá, um esforçozinho por parte da oposição local para fazer um pouco melhor.
Há por aqui demasiado respeitinho, demasiada boa-vontade, demasiada trela dada a quem parece sabe dar bem a volta aos que se deixam embalar por passados comuns ou gostos gastronómicos e enófilos semelhantes.
Assim nunca conseguirão ir mais além.
Não sejam tão ingénuos, que assim até dá dó!
A continuar desta maneira, levam um barrete até às orelhas em 2009, apesar de tudo o que se foi conjugando para conseguirem melhor.
E acho que o pior é que começam a merecê-lo.
Tenho a impressão que por este andar até qualquer cadáver ambulante da ortodoxia comunalista volta a ter maioria absoluta.
Caramba.
Se não for o sempre muito criticado Vítor Cabral a botar prosa mais incómoda, o resto parece que se deixou hipnotizar pelo lobo que nem carneiro pronto para o sacrifício.
Arre, acordem lá!!!!

Quando até este faz sentido, o mundo está mesmo perdido!

"Salazar era ditador e não enganava, mas agora temos uma democracia formal, que é uma ditadura que oprime os cidadãos."
Mendes Bota, Correio da Manhã (no jantar do PSD de Castro Marim), 28-01-2008

As negociatas começaram



Primeira página do Sol de sábado.

AVP Quiosque



Ficou melhor sim senhor. Agora quanto a este título, duvido um bocado.

domingo, janeiro 27, 2008

AVP Musical

Só?


Têm mesmo a certeza que é só uma em cada vinte?
Olhem lá bem, que eu acho que infelizmente são mais.
Não é que tenha experiências pessoaiso traumatizantes em carne viva, mas à vista desarmada olhem que se nota muito pelame por aí...
Mixoxinias à parte.

AH, Leão!!!

Volta que já estás mais do que perdoado:

«Santana recusa-se a tirar poder a pequenos partidos»

Atrás dele viria...

Não vai dar em nada

Já sabemos que por cá coisas como esta dificilmente acabam em algo que se aproveite.
É só para show-off uns dias e gastar tempo e papel.
Acaba tudo arquivado, prescrito ou apenas esquecido.

Os outros estudaram mal a coisa, nós vamos estudando

Graças ao regressado Conde de Alhos Vedros, ficámos a conhecer que o shôr Presidente faz chegar a sua voz aos recônditos do Atlântico, sendo citado a propósito da nova lei sobre a proibição de fumar em locais públicos (deve ter sido a partir do DN).

«"Foi uma lei pura e dura e faltou preparação e avaliação dos impactos, que só agora está a ser feita e esta não é a melhor forma. Os não fumadores têm os seus direitos, como é óbvio, mas agora é que andamos a ver os problemas decorrentes, à medida que surgem", disse o autarca João Lobo.»

Em suma, a lei foi mal planeada e faltou a avaliação dos impactos.
(Até parece que está a falar da palhaçada em que se tornou o percurso "melhorado" entre Alhos Vedros e a Baixa da Banheira)
Mas no caso que lhe diz respeito anda a ver os "problemas decorrentes, à medida que surgem".
O que quer dizer que apesar de toda a discussão em torno do problema, também não fez nada a esse respeito.
Enfim, vozes de lobo só chegam a meio do mar.

Parabéns tardios ao A-Sul

Pelo destaque na Antena 1 pela mão de Pedro Rolo Duarte.

Sporting derrota o Porto !


Vamos prá frente e sempre a acreditar no nosso Sporting !
lá nos safamos...

Se um tipo diz nomes leva logo com um processo

Do Público:
«Ministro das Finanças critica quem acusa “sem apontar nomes”»

AVP Divulgação Cultural e Comercial


As Novidades de Dezembro de 2007 e Janeiro de 2008 da Azulejaria Artística Guerreiro, são muitas e variadas e são manchete no Escudo.
-O RIO e a AAG, são amigos de longa data e agora que a edição em papel cessou de sair nas bancas, com muita pena minha, é tempo de recordar algumas notícias que O RIO destacou desde a edição # 7 de 1 a 15 de Março de 1998 até à sua última edição em papel de 18 de Dezembro de 2007.
-A ALLIUS VETUS, Associação Cultural História e Património de Alhos Vedros criou a revista Foral 2014, que além de ser uma revista totalmente a cores, pretende organizar, preparar e participar a recriação histórica: AlhosVedros, Ceuta à Vista!
Nesta primeira edição a AAG foi convidada a participar com um artigo ilustrado sobre os Painéis do Forcas Bar, quatro painéis de reconstituição histórica sobre Alhos Vedros no séc. XV que foram feitos em 1992 por encomenda de Cristina e Jorge, os seus propietários. Estes trabalhos são por mim considerados até hoje a maior reconstituição histórica feita na AAG e como o Bar se encontra já encerrado ao público há muito tempo aproveito para mostrar a todos esses trabalhos.
Os postais feitos na altura em edição de autor são hoje raros mas ainda tenho alguns, nova edição será feita durante este ano.
-Durante o processo de elaboração dos Painéis do Forcas Bar, foi feito um filme sobre as diversas etapas de realização desses trabalhos, que o meu amigo Lídio Coelho filmou e juntos montamos para passar nas Feiras de Artesanato de então (...de 1992 a 1994). São poucas as pessoas viram tal filme completo mas agora com nova montagem e publicação no YouTube, passa a estar disponível para todos.
O Video da elaboração dos Painéis do Forcas Bar-Primeira Parte ,contém imagens raras da Cadeia Velha de Alhos Vedros, ainda existente em 1992 e que foi derrubada recentemente para a construção de apartamentos e teve a colaboração de Diogénio dos Santos, cineasta amador Alhos-Vedrense que em conjunto com o Padre Carlos me serviram de guias para a realização dos painéis do Forcas Bar.
O Video da elaboração dos Painéis do Forcas Bar-Segunda Parte , mostra o recorte, a vidragem e a pintura dos painéis do Forcas Bar.
-Delei, esteve de novo na AAG, para completar o 5º Grau de Mestria na Arte da pintura em azulejos e foi criado um Blogue para mostrar as suas mais recentes obras e também aquelas que anteriormente Delei expôs nos Arquivos Guerreiro, assim como Videos dessas exposições.
São estas as Novidades da AAG, espero que gostem.
Saudações para todos de

Luís Cruz Guerreiro
.

Sugestão recebida

Mão amiga fez-me chegar já há algum tempo material bastante sumarento sobre os lucros gerados no sector dos medicamentos e que permitem que as ditas indústrias ofereçam, sobre os descontos habituais, margens extraordinárias de oferta às farmácias pela venda dos seus produtos que chegam aos 20%, 30% ou mesmo 40%.
Mas depois não há oficialmente margem para cortar nos preços finais para os consumidores.
A lembrança foi bem feita e é justa.
Tenho sido um preguiçoso nessa matéria.
É que negócio melhor só mesmo a aposentação do Paulo Teixeira Pinto que realmente torna insignificantes os pecadilhos dos plesidentes cá do burgo.

Por favor informem-me

E existir algo de interessante para escrever a nível local.
Porque isto está um pasmo e é impossível escrever mais de 5 vezes sobre o mesmo sem ser uma enorme chatice.

sábado, janeiro 26, 2008

Portugal, Português !

Os Portugueses que ainda têm a suprema infelicidade de viver em Portugal, (e não me refiro à corja de parasitas arquistas que dominam o poder local e nacional, porque esses safaram-se, por enquanto...) mas os portugueses que trabalham e sintem na pele as agruras desta política governamental sem escrúpulos, esses que como eu se sintem revoltados contra o poder moral-fascista da União Nacional-Socialista, a que agora se agrupou o PS(B), que com a nova liderança de Luís filipe Menezes tudo anda a aprovar em conluio com o PS, como se o LFM, fosse uma cópia (B) do Sócretino, nosso primeiro-ministro, numa versão mais senil, este partido, não passa afinal duma cópia da cópia que o PS de Sócrates fez quando copiou o PSD, para ganhar o poder!

O PS e o PS(B), têm de ser ostracizados da política nacional, todos os que querem votar deverão votar nos pequenos partidos, aqueles que a UNS quer acabar.
Os partidos que deveriam ser extintos são os seguintes:
PS, PSD, CDS. PCP e BE.
...entretanto e para que conste, será necessário a criação de um novo partido, o Partido da Pátria.
Este novo partido tem de defender os Portugueses de todas as cores e credos e criar condições para que Portugal sobreviva a esta corja de traidores apátridas, que especialmente desde 1974, (mas isto já vem de longe), tudo fizeram para acabar com Portugal.

sexta-feira, janeiro 25, 2008

Último vídeo do António do Telhado

Olha a novidade!

Do Expresso:

«Oportunismo político compensa
Um investigador concluiu que os autarcas que guardam o dinheiro para gastar em ano de eleições, conseguem melhores resultados nas urnas.»

... e querem logo calá-lo!

Do Portugal Diário:
«PGR abre inquérito a afirmações de bastonário
O Procurador-Geral da República (PGR), Pinto Monteiro, determinou esta sexta-feira a abertura de um inquérito às declarações do bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho Pinto, sobre corrupção no Estado, disse à Lusa fonte da Procuradoria.
O inquérito será conduzido pela magistrada Cândida Almeida, directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), adiantou a fonte da Procuradoria-Geral da República.»

E querem logo calá-lo



«PGR abre inquérito a afirmações de bastonário

O Procurador-Geral da República (PGR), Pinto Monteiro, determinou esta sexta-feira a abertura de um inquérito às declarações do bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho Pinto, sobre corrupção no Estado, disse à Lusa fonte da Procuradoria.
O inquérito será conduzido pela magistrada Cândida Almeida, directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), adiantou a fonte da Procuradoria-Geral da República.»

Um abre a boca...

«Corrupção: Declarações polémicas do bastonário dos Advogados
As declarações do bastonário da Ordem dos Advogados, António Pinto Marinho, segundo as quais existem pessoas com cargos de relevo no Estado que cometem crimes «impunemente», vão ser objecto de um despacho «ainda hoje», adiantou o Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro.
«Existe em Portugal uma criminalidade muito importante, do mais nocivo para o Estado e para a sociedade, e que andam por aí impunemente alguns a exibir os benefícios e os lucros dessa criminalidade e não há mecanismos de lhes tocar. Alguns até ostensivamente ocupam cargos relevantes no Estado Português», afirmou hoje aos microfones da Antena 1 o bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho Pinto, adiantando que poderá avançar com casos concretos brevemente.
Para Marinho Pinto, «o fenómeno da corrupção é um dos cenários que mais ameaça a saúde do Estado de direito em Portugal». Contactado pela Lusa, o Procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, que se encontrava numa reunião de trabalho em Madrid, garantiu que «logo que regresse ainda hoje a Lisboa» irá proferir «um despacho relativo às declarações do bastonário da Ordem dos Advogados em declarações à Antena 1», não adiantando mais pormenores.»

quinta-feira, janeiro 24, 2008

Independência do Concelho de Alhos Vedros, Já!

Isto não tem ponta por onde se lhe pegue, a moita e os amoitados são um caso clínico de doença mental e estão no poder para terem o seu tacho e darem tachos aos outros canalhas, Alhos Vedros tem de sair desta loucura e deixar a moita entregue a si própria.

Desenmerdem-se...

Cidadania Participativa

Vitor Manuel Almeida Ascenção
Rua Santos e Silva nº 15
2860-485 Moita
Telef.966850616
E-mail: Vitor.m.ascensao@clix.pt
Alhos Vedros, 20 de Agosto de 2007

Entidades Requeridas:

Ex.mª Senhora Presidente
da Junta Freguesia
de Alhos Vedros

Ex.mª
Senhora Presidente
da Assembleia de Freguesia
de Alhos Vedros

Exmo. Delegado (a) do
Ministério Público do
Tribunal Administrativo
Da Comarca da Moita

Assunto: Requerimento de Procedimento Administrativo

Eu, Vitor Manuel Almeida Ascenção, portador do bilhete de identidade nº 4578691, passado pelo arquivo de identificação de Lisboa, contribuinte nº106989049 e eleitor desta freguesia, com morada na rua Santos e Silva nº 15 2860-485 Moita, venho por este meio, ao abrigo do artigo 268,nº 5º da Constituição, e do Código do Processo Administrativo no seu artº54, , solicitar que Vª Exas., considerem nulos ou anuláveis todos os actos efectuados em reuniões da junta de freguesia, que foram aprovados em convocatórias efectuadas até á presente data, tendo como ponto da ordem de trabalhos “Vários”.


Este dever de procedimento administrativo deve-se ao facto que sendo um órgão colegial executivo, deve o mesmo obrigação de cumprimento de dever legislativo, actuar em obediência á lei e ao direito de actos e formalidades, no principio da igualdade e da proporcionalidade, e da vontade da administração pública, dentro dos limites dos poderes que lhe estão atribuídos, com o fim para que os mesmos poderes lhes forem conferidos.


Exposição dos factos.

Diz o artigo 18º do CPA, que “A ordem do dia de cada reunião é estabelecida pelo presidente, salvo disposição especial em contrario, e inclui os assuntos que para esse fim lhe foram indicados…”.

Diz ainda o Artigo 87º,nº1, da Lei 5A/2002 “ A ordem do dia deve incluir os assuntos que para esse fim forem indicados…” acontece que VÁRIOS, não é assunto.

Ressalva o artigo 174, nº do Código Civil o seguinte.

“ (Forma de convocação)

…. é convocada por meio de aviso postal, expedido para cada um dos associados com a antecedência mínima de oito dias no aviso indicar-se-á o dia, hora e local da reunião e a respectiva ordem do dia.”

Faz ainda jurisprudência do Supremo Tribunal Administrativo que:

“…disse a propósito da convocação de uma qualquer reunião pública ou não pública, que uma das condições que o aviso convocatória deve preencher, sob pena de a reunião ser absolutamente nula, é a de indicar, concreta e taxativamente, quais os assuntos a tratar na respectiva reunião, isto é, os assuntos sobre o que vai incidir a discussão, e para resolução dos quais a reunião foi constituída….”

Argumentação.

A quem assiste a reuniões com este estereótipo de convocatória, constata que o que vem por detrás destes vários, são por vezes assuntos específicos e de alguma complexidade, mas de interesse generalizado de participação e conhecimento de toda a população, a quem não interessa esclarecer e levando-o a não participar.

Constata-se porém, que tendo já havido reclamações relativo à incoerência da convocatória da ordem do dia das respectivas reuniões nos órgãos agora citados, as mesmas se encontram tendencialmente desprovidas dos assuntos a tratar, levando ao incumprimento da legislação existente, e havendo por acção ou omissão consciência que a ordem do dia VÁRIOS, é vazio de conteúdo e facilmente manipulavél, e adulterado, desvirtuando o motivo das próprias deliberações, e não dando qualquer hipótese de conhecimento prévio, de estudo ou habilitar os fregueses a discuti-los, mas obstruído o desenvolvimento dos mesmos levando há aprovação em combinação restrita, e levando-os à reunião a ouvir em segredo os assuntos que as mesmas irão tratar, obtendo com tal situação resoluções favoráveis, sem ouvir a população e sem discussão, sendo mais que razão para a respectivas reuniões sejam consideradas nulas.

Fundamentos de direito:

Baseado em fundamentos de direito, faz prova de factos, os editais e convocatórias emitidos, tal como as actas das respectivas reuniões em arquivo no órgão colegial executivo, e também em conformidade com o Código de Procedimento Administrativo, nos artºnº133, nº 1 e artº 135.

O Código Civil, em valência com as leis vigentes, tal como o Código de Processo dos Tribunais Administrativos,

(aprovada pela Lei n.º 15/2002, de 22 de Fevereiro, e

alterada pela Lei n.º 4-A/2003, de 19 de Fevereiro)

Aguardo deferimento

Atenciosamente.

Vitor Ascenção

O poder moiteiro no seu esplendor

Publicação dos quadros de pessoal da câmara moiteira.
São 947 lugares e só estamos a falar dos quadros de pessoal, fora os avençados e outros borlistas.
Achem lá o número da população activa do concelho e façam as contas para perceberem como, quando chega ao dia de votar, muito boa gente sente que tem algo a dever.

quarta-feira, janeiro 23, 2008

Da outra vez falhou o póstére



E as demonstrações serão de?

Sou eu! Não, sou eu!!!

Faim e Lobo disputam a organização de uma sessão de esclarecimento sobre a passagem da linha do TGV pelo concelho.
Isto agora não há cá Colectivo que resista às vaidades pessoais.

Câmara da Moita: afinal está mesmo endividada

Texto para publicação na imprensa local, que o AVP divulga em antecipação:

A maioria CDU isolada, aprovou um empréstimo de mais de 1 milhão de contos (5,2 milhões de euros) para pagar dívidas a fornecedores!

As dívidas, que agora querem pagar com recurso ao crédito bancário, resultam de um descontrole da gestão corrente da Câmara, que ascendia a 9 milhões de euros em final de 2005, curiosamente ou não, coincidente com o período das últimas eleições autárquicas.

Caixa Geral de Aposentações, ADSE, Amarsul - tratamento de lixos, Xerox - Fotocópias, Transportes escolares e outros, EDP, CTT, Portugal Telecom, Vodafone, Cabovisão, BP - gasóleos e gasolinas, etc, são alguns dos fornecedores a quem agora a Câmara vai pagar, com dinheiro emprestado e sujeito a juros. O escândalo é tanto maior, quanto este empréstimo é contraído 12 anos e com início da amortização só em 2011, o que significa começar a pagar só daqui a 3 anos.

É o típico caso de “chutar a bola para a frente”. Os custos disto?

Compromete-se o futuro para quem vier a seguir! Uns atiram os foguetes e fazem a festa e outros apanham as canas e pagam a despesa!

É isto novidade? Não é de todo. As diversas Oposições: PS, PSD, BE, denunciaram este modo de proceder em tempo. Não foram ouvidos. Está na moda dizer-se que é por “dificuldades de comunicação”. A população não acreditou. O facto, e temos que o reconhecer, é que a máquina desinformadora, sustentada em caciques / opinadores de esquina que o PC persiste em alimentar, continua a funcionar. Cabe decididamente às OPOSIÇÕES e à população em geral encontrar respostas para desmantelar este polvo. Afinal, tanto dinheiro gasta a Câmara em desdobráveis, revistas e folhetos de que o exemplo último é o “2 ANOS EM MOVIMENTO” atafulhando as caixas de correio dos munícipes, mas esquece-se (!) de dizer a verdade ao concelho da Moita.

Não nos podemos esquecer que cortaram no apoio às colectividades (ASSOCIATIVISMO), negaram-se na questão das actividades extracurriculares (EDUCAÇÃO), e os trabalhadores camarários não podem fazer horas extraordinárias mesmo quando necessárias para assegurar o funcionamento normal dos equipamentos (ADMINISTRAÇÃO).

Para além de tudo isto, o frenesim das pequenas obras ocorrido antes do acto eleitoral de 2005 desapareceu no minuto imediato ao arrecadar a maioria absoluta. Se isto não é manipulação e areia para os olhos chama-se o quê? Isto não é senão resultado de uma governação de maiorias sucessivas, em que não há alternância e o cansaço é evidente. Cai-se na displicência e mesmo no desrespeito pela população.

Na lógica das obras de fachada e do faz e desfaz, temos o exemplo caricato da “rotunda do Modelo", também inaugurada em final de 2005 e agora destruída. Mau planeamento. Os moradores de Alhos Vedros no futuro para se deslocarem a esta zona comercial têm que ir à Baixa da Banheira e voltar. Mas para quem anda de carro oficial de luxo, não paga combustível nem a manutenção dos amortecedores (lombas) é coisa sem importância.

Talvez o sr. Presidente João Lobo, na habitual viagem oficial de inverno a Cabo Verde, que agora decorre, tenha um rasgo de bom senso e pondere para onde nos está a afundar.

Vitor Cabral

Vereador PS

Fosga-se, descobriram-nos o plano - parte II



A segunda parte da célula, de recorte feminino, propunha-se rebentar de vez com o Cais Novo, tendo para isso usado camuflagem adequada à vegetação ribeirinha.
Como ainda não temos notícia da descoberta deste grupo de activistas, esperamos que o plano consiga ir por diante.

Fosga-se, descobriram-nos o plano



Qual par de paquistaneses terroristas, qual nada.
Era apenas a célula de acção directa do AVP a preparar-se para intervir no território moiteiro com bombinhas flatulentas psicotrópicas, a coberto da agitação carnavalesca.
Para ver se conseguíamos que a moiteirama dixasse de pensar apenas em bosta, bovinos e protocolos.
E uma para fazer crescer nova trunfa ao Faim.

terça-feira, janeiro 22, 2008

A ler, com urgência

Do Jornal do Barreiro:

«O Galinheiro de Sócrates
(...)

Sócrates fez do partido socialista uma espécie de “sala de chuto” da esquerda política portuguesa, para a qual tratou de convocar revolucionários ideologicamente espoliados e de para ela arrastar militantes compulsivamente desalojados do aparelho partidário. Nela – na sala de chuto socialista - as seringas (leia-se o letal silêncio para que muitos foram remetidos) pagam-se a peso de ouro (uma seringa pode, por exemplo, equivaler a um almejado lugar de eurodeputado) e a “maldita cocaína” corresponde, em muitos casos, a um chorudo lugar de topo na administração de uma qualquer (in)viável empresa pública.


O espantoso é que, incólume, Sócrates tenta fazer ao País o que antes tratou de fazer ao seu partido, povoando um e outro de uma cultura de medo, perseguição e intriga palaciana. Mas o problema – o verdadeiro problema – é o de a democracia nacional promovida por Sócrates se assemelhar cada vez mais a um desonesto jogo de ‘poker’, na qual a batotice política é consentida e a delapidação económica do Estado é instigada.»

Bela prosa.
Agora que precisamos de colaboradores para manter o AVP mais assíduo, esta seria uma boa contratação.
Vai bem no estilo e na forma este Fernando Cortes Leal, caso não parecesse já ter o seu espaço.

O Bloco anda por aí

Ele é colóquios, ele é visitas.
Qual a aposta seguinte?
Um pouco mais de músculo no confronto político local?

Tamanho bom senso até que espanta

Do Rostos Online:

«Municípios da Região de Setúbal
Câmaras Municipais verão reduzidas à expressão mínima a pluralidade

“As propostas de alterações à lei eleitoral dos órgãos autárquicos apresentadas, longe de reforçarem o funcionamento colegial dos órgãos, os poderes e competências dos órgãos deliberativos, de aproximarem eleitos e eleitores através do reforço da legitimidade democrática, da pluralidade e da representatividade dos órgãos executivos, pretendem criar um Poder Local centrado na figura do Presidente de Câmara, desvalorizando os órgãos deliberativos, enfraquecendo as características fundamentais do modelo de Poder Local Português: a democracia, a colegialidade e a representatividade.” – acrescenta a Resolução da AMRS.
(...)
Na sua “Resolução”, refere-se que “atendendo à importância desta matéria, a Assembleia Intermunicipal da AMRS, apreciando a proposta de diploma e tendo como objectivo a defesa do Poder Local Democrático e o esclarecimento das populações, delibera: Manifestar a sua discordância face à proposta apresentada e a sua profunda preocupação com as consequências para a democracia local de uma eventual aprovação do projecto-lei”.»

segunda-feira, janeiro 21, 2008

PS e PS(b)

O meu camarada AV1, anda a sentir-se desamparado e tem motivos para isso, o meu desalento com todo este "modus viventi" português anda a transformar-se numa depressão e numa inércia que eu acho que só pode ser uma canalização de toda a tristeza que invade os portugueses. Como a Amália eu já sinto a Pátria a morrer dentro de mim, já não sei se os portugueses merecem estes governantes ou se apenas nos resta chorar as nossas penas para que tenham pena de nós.
Isto está na maior merda que eu pensaria possível em portugal, e parece que nenhum português está em condições de fazer algo para que isto não aconteça...chegou-se ao ponto da apatia e não é pela escrita que vamos lá.
Os detentores do poder local e nacional resolveram que Portugal não vale a pena, por isso tentam criar o máximo de benesses para eles próprios. A União Nacional-Socialista integrou o PS(B) nas suas hostes porque desde que Luís Filipe Menezes entrou, tudo apoiou, até a ratificação do Tratado na AE.

AV2

E não digam que somos malcriados



Se vocês vissem como estes veteranos (Cabu, Cavanna, Charb, Wolinski, etc) tratam o Sarko, a Bruni, a Cecilia, a Sego e o resto da pandilha francesa é que viam como nós somos do mais delicado que pode haver entre o género satírico-corrosivo.

Agora a sério

Aquela passagem desnivelada, mais os melhoramentos rodoviários entre Alhos Vedros e a Baixa da Banheira, não esquecendo a gincana em modo de ciclovia, estão mesmo uma bela merda.

Editores do AVP andam assoberbados

A nossa reportagem interna encontrou o editor AV2 extremamente extenuado e, como o próprio afirma «incapaz de dar uma de criatividade para o blogue, pelo que me resumo à inércia».
Entretanto, AV1, chegado da sua labuta diária declarou que «como está isto não dá sequer gozo bater nos ceguinhos». Acrescentou ainda que «aquela passagem desnivelada ao pé do Lidl está uma bela merda, mas por favor cortem isso que eu não gosto de palavrões no blogue».
Só que nós somos incorruptíveis e aqui ficam fielmente reproduzidas as declarações fetas a este repórter que gosta de falar de si na terceira pessoa.
Já chateado, o editor AV2 aproveitou para gritar pela janela «e se fosses chatear a tua avózinha com essa mania de escreveres à parva», mas o editor-repórter AV1 já não estava lá para ouvir e registar.
Ou estava.
Ele, ou eu, já não sabemos bem a quantas andamos.

O Banheirense está quase um blogue decente

Não é por nada, mas acho que se deve à postagem reduzida e ao facto de um certo mestre ter desaparecido de circulação mais aqueles textos muuuuuuuuuiiiiiiittttttttaaaaaa chatos, mesmo quando são copiados e não apenas encomendados.
O Luís lá se esforça por manter aquilo vivo e o aristocrata-artista lá tira umas polaróides de quando em vez.

domingo, janeiro 20, 2008

AVP Musical

Adepto do FCP, claro, ou então moiteiro

Afinal ainda há dragões… Bem estúpidos, claro.

Esqueceram de avisar o COITADO que o shot deveria ser apagado antes de beber ...


Blogueiro alhosvedrense experimenta movimentos intestinais

Regressando da cozinha e após sentar-se de forma elegante no sofá da sala para ler a imprensa dominical, AV1 sente algumas tremuras intestinais e declara a todos os leitores «Agora preciso mesmo de me ausentar um pouco, já que o organismo está a responder aos estímulos alimentares e é inadiável uma ida ao water-closet doméstico para regularizar a situação».
A todos os interessados e leitores o editor do AVP deseja uma boa continuação de Domingo, dia de santo descanso.

Blogueiro alhosvedrense experimenta movimentos intestinais

Regressando da cozinha e após sentar-se de forma elegante no sofá da sala para ler a imprensa dominical, AV

Editor do AVP desloca-se

Acometido de súbita sede, na sequência de um almoço um pouco apimentado, AV1 declara «Agora vou ali à cozinha beber água e já venho».

Editor do AVP adere a nova moda comunicacional na blogosfera local

Inquirido sobre a forma do vereador Bruno Vitorino se referir a si mesmo na terceira pessoa no seu blogue pessoal, AV1 declarou que «É um estilo interessante, que penso utilizar igualmente, pois o vereador parece-me um rapaz de estudos e atento às modernidades tecnológico-comunicacionais mais em voga».
Enquanto teclava no seu computador de marca branca, AV1 acrescentou ainda «Todos temos de nos adaptar aos novos tempos e também eu gosto de me ver citado a mim mesmo em textos teoricamente da minha autoria».
Com ar pensativo, o blogueiro alhosvedrense concluiu que «Espero que o AV2 compreenda esta minha opção, a aceite e adopte a breve prazo».

A 3ª (ou 2ª) Pessoa

No blogue do vereador laranja barreirense Bruno Vitorino lê-se a seguinte passagem que tem merecido destaque na imprensa local:

«Vereadores PS fogem a discussão pública com Vereador Bruno Vitorino
O vereador social-democrata expressou a sua estranheza pelo facto dos eleitos do PS no executivo municipal não quererem debater este tema na sua presença. “Lamento que a atitude dos vereadores do PS seja esta. Quando estive ausente, por estar de férias, direito a que qualquer pessoa tem, pediram explicações e disseram inverdades, que reiteraram num comunicado tornado público. Agora que estou aqui, pronto a debater esta questão, não dizem nada”.»


É estranho que num blogue apresentado como pessoal, o seu autor seja tratado na 3ª pessoa e citadas as suas declarações, em vez de o próprio assumir as suas posições na primeira pessoal do singular (ou plural, no caso de desvio monárquico-majestático).
Esta estranha forma de escrita levanta legítimas dúvidas sobre a efectiva autoria do blogue (será como no caso do líder Meneses, uma espécie de escritor-fantasma? que se esquece de adaptar os textos?) ou então sobre a forma como é mantido (dois posts desde o início do ano revelam que realmente a prioridade comunicacional por esta via é escassa).
De qualquer modo fica o registo de tão peculiar forma de alguém se referir a si mesmo, algo que tem antecedentes históricos no romano Júlio César, mas que se julgava ter caído em desuso nos tempos correntes.
Mas pode vir a ser uma nova moda.
A partir de agora vou passar a tratar-me também na 3ª pessoa, é só esperarem pelo próximo post.
Quem me diz que não fica bem?

AVP-BD



Dois novos coleccionáveis na imprensa: às 4ªs feiras com o Público, álbuns duplos por 6.9 euros (heróis como Thorgal, Iznogoud, Blacksad e autores como Bilal, Prado, Gibrat ou Jodorowski) e mensalmente com a GQ os volumes de O Clic de Manara por mais 1,45 euros.
É de aproveitar para completar colecções.

AVP Agenda Cultural

AMIGOS DA HISTÓRIA LOCAL PROMOVEM
Palestra "À Descoberta do Paleolítico no Vale da Amoreira"

Os vestígios mais antigos de ocupação humana descobertos na Freguesia mais recente do Concelho da Moita

A Freguesia mais recente do Concelho da Moita foi o local onde se encontraram os vestígios mais
antigos de ocupação humana no Concelho, do Paleolítico. Trata-se do Vale da Amoreira, a única Freguesia onde até agora os Amigos da História Local não tinham organizado nenhum encontro.

Por isso vão promover uma Palestra, dinamizada pelos arqueólogos Tiago do Pereiro e António
Gonzalez, sobre a Pré-História. Focar-se-á em particular o período mais remoto do Paleolítico e os achados locais, e demonstrar-se-á ao vivo como se talhava a pedra e fazia fogo nesses tempos remotos dos nossos antepassados.

Palestra
À DESCOBERTA DO PALEOLÍTICO NO VALE DA AMOREIRA
Sábado, 26 JANEIRO 2008
15:00h
Auditório da Junta de Freguesia do Vale da Amoreira

A organização conta com o apoio da Junta de Freguesia do Vale da Amoreira, Associação Moitense dos Amigos de Angola e o Projecto Vale Esperança.

sábado, janeiro 19, 2008

Plenamente de acordo, camarada

De O Militante nº 292:
Nós aqui fartamo-nos de resistir, o que equivale a estarmos sempre a vencer o poder capitalista moiteiro disfarçado de comunista, assente em protocolos e outros negócios que tais.
Mas o camarada precisa mesmo é de passar por cá sem ser em arruada apressada e dar uma olhadela no que se passa que os relatórios do camarada VD pode ser que não sejam suficientes.
É que apesar de eventuais vantagens resultantes de mais-valias dialécticas, se calhar certos arranjos locais ficam muito a dever à ortodoxia, ou mesmo à decência política, marxista-leninista ou outra.

Dá-lhes...

Do DN:

«Alegre contra nova lei autárquica do PS e PSD»

Compreende-se



Ana Malhoa é mais procurada do que Ronaldo na Internet

O Estado do Tempo

sexta-feira, janeiro 18, 2008

Delirante



Merece ser mesmo visto...

AVP Friday Night





Go! Team e Hot Chip para abanar a carola de duas maneiras, uma mais esfuziante, a outra mais minimal.

Leonel Coelho ao Poder!



E termina em cavalgada épica na página 3 do Primeira Página:

«Agora obrigam-nos a entregar à polícia os nossos ficheiros? Nem a pide o conseguiu! Nem os Otelos, Vascos e Varelas o conseguiram. À canalha que pretende silenciar as vozes discordantes deixo uma sugestão: Porque não obrigam todos os filiados dos pequenos partidos, todos os sindicalistas, todos os jornalistas livres e demais democratas a tatuarem no braço esquerdo a palavra "inimigo". A terminar pergunto ao Manuel Alegra [sic]: Então, não dizes nada a isto?»

E mai'nada.

Últimos Livros da Anita






Se lhe dessem uma porrada bem assente...

... passavam-lhe logo as subtilezas.
É o que quase desejo para o bétinho Rui Marques, Alto Comissário para a Imigração e Diálogo Intercultural, que afirma na Visão que "o racismo subtil é o pior".
Pois, se ele fosse espancado alguma vez a sério provavelmente mudava de opinião.

Rally Lisboa-Dakar



Famous Last Words...

Más Notícias



Do jornal Primeira Página.

quinta-feira, janeiro 17, 2008

AVP Mixóxino



Pronto, agora é que vamos para o inferno dos intelectualóides no armário..

Novo visual lava velho pecado



O Jornal da Moita remoçou-se e está com um aspecto mais interessante, confesso.
Na remodelação do design reparei igualmente que desapareceu o pseudo-endereço na net que durante uns tempos exibiu e que terá justificado o recebimento dos tais subsídios para produzir conteúdos online.
São detalhes.
Que os subsídios já lá cantam.

Não está mal pensado, não senhor...

O TABU QUE NINGUÉM FALA: BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS A ARMA SECRETA PARA O CONTROLE DO DÉFICE DO ESTADO NO ANO 2008!

É estranho o manto de silêncio, o tabu, sobre a provável e principal razão que envolve o interesse súbito de «todo o mundo» sobre o Banco Comercial Português: a possível transferência para a Segurança Social do fundo de pensões dos colaboradores do Banco avaliado em cerca de quatro mil milhões de euros.

Esta transferência, a concretizar-se, será contabilizada como receita extraordinária da Segurança Social neste ano 2008 e controlará o défice do Estado satisfatoriamente. Esta solução que estará na mira do Governo Sócrates (sem dúvidas),foi testada pelo Governo de Guterres (com a transferência do fundo de pensões do BNU, realizado pelo ex-ministro Sousa Franco) e pelo Governo de Santana Lopes, para controlar o défice e cumprir os valores limite fixados pelo Pacto de Estabilidade e Crescimento. Assim, no ano de 2004, o ex-ministro das Finanças Bagão Félix transferiu fundos de pensões de empresas públicas (entre outros, o Fundo da Caixa Geral de Depósitos) para a Caixa Geral de Aposentações, conseguindo um encaixe financeiro de cerca de 1,9 mil milhões de euros (segundo foi noticiado).

Estamos, na verdade, no cerne das negociações das cadeiras na Administração do BCP! Isto é, poderá o PS garantir um perfeito e tranquilo sucesso orçamental no Ano 2008, com uma total concordância do maior partido da oposição (?), tendo em vista o ano de eleições de 2009? Mas, é bom recordar e não esquecer (PS e PSD) o parecer do Tribunal de Contas sobre este tipo de operações: «O impacto directo sobre as finanças públicas, que se projectará por um período longo, resultante das transferências referidas, tem um efeito positivo sobre as receitas do Estado no ano em que ocorreram, mas têm um efeito inverso nos anos posteriores, uma vez que as receitas não serão suficientes para suportar o valor das despesas».

Neste cenário, bem descrito pelo Tribunal de Contas, afirmamos que não se augura nada de bom para os reformados e trabalhadores no activo com a transferência do Fundo de Pensões para o Estado. Denunciamos a apatia e a ingenuidade dos Sindicatos e da Comissão de Trabalhadores do BCP em não verem e não perceberem o fundo real da situação. Ou, será que querem ver e perceber? Porque será que não defendem os legítimos interesses dos trabalhadores com absoluta firmeza e determinação?

O Accionista mediático do BCP, Joe Berardo, o homem que «Sabe Tudo», que no seu apostolado de criticas e denúncias emite opiniões diversas, ainda não se pronunciou sobre esta matéria? Ou, será que sabe e não quer dizer? Ou, sabe mesmo da medida desejada pelo Governo de Sócrates?

O Senhor Joe Berardo não é seguramente um «capitalista do povo», como quer fazer passar na imagem que vende. Pelo contrário, Berardo defende unicamente o seu dinheiro, os seus investimentos e o Fundo de Pensões representa uma responsabilidade para o Banco que quer ver eliminada, ou antes, transferida para o Estado.

Finalmente, independentemente dos respeitáveis nomes que são apontados como candidatos às cadeiras do Conselho de Administração Executivo do BCP, os accionistas, os clientes, os colaboradores do Banco, gostavam de saber da voz dos Candidatos a Presidente, nos próximos dias que antecedem a Assembleia Geral, quais são os modelos e as orientações que pretendem imprimir na organização, se vão seguir a política das fusões, se vão continuar o Programa em marcha “Millennium 2010”, etc. Ou seja, Os Curriculum Vitae de Santos Ferreira e Miguel Cadilhe são inquestionáveis, mas urge sentir e reflectir as linhas orientadoras de liderança que sustentam as suas candidaturas.

Até agora vivemos no campo vago da dança dos nomes. Historicamente, o Banco Comercial Português sempre nos habituou à excelência na liderança e à clareza sólida dos objectivos a atingir. Por esta via, se atingiu o patamar de importância que o BCP hoje ocupa no sistema financeiro português.


DELFIM SOUSA

Accionista, Ex-Quadro do BCP, Ex-Sindicalista, Ex-Membro da Comissão de Trabalhadores do BCP

delfimsousa1@netcabo.pt

Será desta que acabam as desculpas?

Do site da RTP:

«Governo aprova transferência de terrenos das administrações portuárias para as autarquias»

Para a vergonha do Cais Novo e zonas envolventes?
A chatice é que parece que os terrenos não podem ir para especulação imobiliárias, que é a especialidade protocolar dos kamaradas cá do burgo.
Como não devem poder mandar construir, provavelmente vão queixar-se da medida e negar-se a fazer qualquer coisa de útil.

quarta-feira, janeiro 16, 2008

Nem vale a pena olhar muito...

No Rio Online toma-se conhecimento da apresentação das Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2008 da Junta de Freguesia de Alhos Vedros.
O título é bastante pomposo para a pobreza franciscana dos meios disponíveis e concedo que com migalhas é impossível fazer um grande bolo.
Mas talvez por isso mesmo se exigisse uma sinceridade e candura na forma de apresentar as coisas.
O dinheiro é pouco, não se vai fazer grande coisa, tal como não se tem feito quase nada.
O que é ridículo é afirmar, a este propósito, que:

“Não olhamos para o que está feito e o que se pretende fazer como ‘coisa criada’ mas antes como um ‘organismo vivo’ impregnado de condição humana em que se revelam hesitações, dúvidas, contradições que só um longo trabalho de reflexão e apuramento consegue eliminar para que logo surjam outras hesitações, outras dúvidas, outras contradições”.

Se há coisa que eu gosto mesmo menos do que de má poesia (regada ou não a moscatel de Sertúbal) é de má prosa armada ao pingarelho intelecto-espiritual.

AVP Agenda Cultural (tomara eu ter tempo)

CONVITE

Clássicos na Bulhosa

Projecto e direcção de Silvina Pereira


Na próxima terça-feira, dia 15 de Janeiro de 2008, pelas 18h30, terá lugar na livraria Bulhosa de Entrecampos a sessão inaugural do projecto Clássicos na Bulhosa, a desenvolver ao longo do primeiro semestre de 2008.

Nesta primeira sessão dedicada a Sá de Miranda serão lidos, na primeira parte, excertos da obra Os Vilhalpandos, interpretados por Alexandre Ferreira, Carmen Santos, Filipe Petronilho,

Isabel Fernandes, Júlio Martín, Margarida Rosa Rodrigues e Silvina Pereira.


A segunda parte constará de um debate com a presença de José Camões visando uma reflexão sobre a obra de Sá de Miranda e a Comédia Clássica Renascentista Portuguesa.

Contamos com a sua presença!

É em Sarilhos, mas faz de conta que é na Moita

Do Rostos Online:

Teatro infantil na Moita
Teatro Extremo apresenta “Histórias Dentro de uma Mala”

Se este é um portal de âmbito local/regional, nunca percebo muito bem porque deslocalizam a realização dos eventos nos títulos.
Ou acham que os leitores desconhecem onde fica a fermosa povoação de Sarilhos, os Pequenos?
Na notícia percebe-se que é no concelho da Moita.
Mas seria difícil ou errado localizar logo de forma rigorosa onde acontecem as coisas?
É que não é caso único....

Se estamos em serviços mínimos?

Não é bem assim.
Estamos em é a trabalhar no máximo.

terça-feira, janeiro 15, 2008

Vai e não voltes

Do Público:
«Jardim garante que estará ao lado dos madeirenses no dia em que o povo quiser a independência»

São piores do que o Miguel de Sousa

Da TSF:
«Sócrates desvaloriza falha em cálculo do Governo
José Sócrates admite que falhou no cálculo da inflação [que em 2007 ficou duas décimas acima da previsão do executivo] mas salienta que o executivo acertou em todos os outros pontos.»

Mais valia recorrerem ao Oráculo de Beline, que até tem nova obra para venda no Lidl e tudo.

AVP Anedota do Dia

A Asae Prendeu O Cardeal Patriarca


É a notícia do dia, a ASAE decidiu inspeccionar uma missa na Sé de Lisboa para inspeccionar as condições de higiene dos recipientes onde é guardado o vinho e as hóstias usadas na celebração. Depois de sugerir ao cardeal que se assegurasse que as hóstias têm um autocolante a informar a composição e se contêm transgénicos e que o vinho deveria ser guardado em garrafas devidamente seladas, os inspectores da ASAE acabaram por prender o cardeal já depois da missa, depois de terem reparado que D. José Policarpo não procedia à higienização do seu anel após cada beijo de um crente.

A ASAE decidiu encerrar a Sé até que a diocese de Lisboa apresente provas de que as hóstias e o vinho verificam as regras comunitárias de higiene e de embalagem, bem como de que da próxima vez que cardeal dê o anel beijar aos crentes procede à sua limpeza usando lenços de papel devidamente certificados, exigindo-se o recurso a lenços descartáveis semelhantes aos usados nos aviões ou nas marisqueiras desde que o sabor a limão seja conseguido com ingredientes naturais.

Sabe que a ASAE ainda inspeccionou a sacristia para se assegurar que D. José, um fumador incorrigível, não andou por ali a fumar um cigarro, já que não constando nas listas dos espaços fechados da lei anti-tabaco as igrejas não beneficiam dos favores dos casinos pois tanto quanto se sabe o inspector-geral da ASAE nunca lá foi apanhado a fumar uma cigarrilha.

A Asae pondera tambem a hipótese de a comunhão ter que ser dada com luvas higiénicas para evitar possiveis pandemias.

segunda-feira, janeiro 14, 2008

O Retrato Robot Mais esperado !


É ele mesmo, o António do Telhado, não há que enganar!
Mais uma grande descoberta do AVP!
Obrigadinho à PJ

O Ignóbil Ignorâncio


Através dos mais modernos métodos digitais para criação de retratos robot, fornecidos pela PJ, podemos aqui em primeira mão divulgar a cara daquele que se assassina como; "La Ignorance tene mucha galgen"!

Já, Já a seguir o retrato robot do Antóino da Moca, quer dizer do Telhado, cuja mãezinha nos pediu esta publicidade, porque o Blogue do seu filho, está a baixar as suas costumadas grandes audiências...

Faim ao ataque

Reunião com as bases, com um imaginário e vocabulário que nos fazem voltar a 1974-75.
Coisa má'linda não há.
Em nome da pureza, D. João III, o Dialogante, mostra como gosta do contacto próximo com povo ao contrário de D. João II, o Altaneiro, mais lacoste, cosmopolita e sempre distante.

E se aproveitassem a "deixa"?



E, com a desculpa já antes usada da mudança das circunstâncias, se a moiteirama voltasse a retocar o PDM e retirasse de lá os maiores disparates.
Se o fez por razões menos ponderosas, agora parece-me uma necessidade e4vidente.
Os camaradas da vizinhança parecem preocupados com aquilo que praticaram recentemente e a que chamam agora "pressão imobiliária".
Até o amigo Fonseca Ferreira está preocupado.
Se a preocupação é verdadeira, provavelmente os antigos PDM não precisam de ser retocados se não em termos das acessibilidades, pois seria disparate ceder à "pressão".

Já no caso da Moita que reviu um PDM todo na base da cedência à pressão das "novas centralidades", teria agora uma boa hipótese de demonstrar como estão à altura de uma "pedrada no charco" daquelas a sério, não das que só prejudicam as crianças do concelho como a recusa em apoiar os prolongamentos escolares.
E continuo na minha, se o TGV vai passar por estas bandas, como ficam os tais protocolos dos terrenos do coiso e tal?

domingo, janeiro 13, 2008

Vê lá se "cresces"



Este tipo foi o mesmo que andou um dia a dizer que era bom pagar 10 euros em 14 prestações aos reformados.
Montijeiro peneirento e aparelhista parecido com os daqui só que de outra cor.

Quanto ao título do jornal, apenas revela a ignorância e analfabetismo que vão fazendo a regra por aí.
E vem isto distribuído com o Expresso em algumas zonas do país. Hoje foi em Setúbal que o comprei.
O jornalismo anda pelas horas da amargura.

E são logo híbridos, por coincidência



Eu sou pé-descalço, não tenho dinheiro para Shazans, quanto mais Sharans.
E os Pólos são pequenos para a família.
Mas os bagulhos parecem que poderão comprá-los com desconto, apesar de andarem sempre a prever o apocalipse e maldizer os patrões.

Obras moiteiras







Esta nova obra moiteira, merece o prémio da engenharia sanitária.
O engenheiro de serviço na C.M.M. conseguiu o mais redutor conceito de política anti-passeios públicos até agora. O prémio anterior estava no prédio amarelo em frente da Velhinha em Alhos Vedros.
Este engenheiro é anti-pedestres militante, e quem se atrever a andar a pé nesta estrada corre o risco de ser atropelado.
O mais inacreditável é que o edificio do Totta, foi recuado o suficiente para ter um passeio de boas dimensões, mas parece que este exemplo de há longos anos, não exerceu no engenheiro moiteiro um pequeno rasgo de bom senso. O cerébro destes engenheiros deixa de funcionar quando os Euros causam um conflito nas sinapses.

AVP Musical, na falta de melhor



Esta é para o AV2 se retorcer todo de desprazer.

AVP Musical, na falta de melhor



Esta é para o AV2 se retorcer todo de