segunda-feira, abril 30, 2007

Antropologia taurina



Estudo aprofundado da realidade taurina moiteira, ontem à noite, na RTP1.
Já imaginaram o que seria ler aos touros os artigos do... do... daquela espécie de antropólogo?

Nelo e Idália Sempre!



Já imaginaram isto representado com a Odete Santos em vez da Maria Rueff?

Será que?



Será que uma auditoria ao IGAt se pede mesmo directamente ao IGAT ou à respectiva tutela?
É que com estes "lapsos" se faz com que a coisa anda que não anda.
Fingem que sim, mas depois fazem que não.
Eu sei que autarca moiteiro é semi-analfabeto mesmo sendo dr. ou engenheiro, mas quer-me parecer que isto foi tudo menos involuntário.
Porque se é, me parece de demasiada ignorância.

E se O PSD virasse à esquerda ?


Todos sabemos que o PS, vulgo UNS, ocupou o espectro partidário que anteriormente era ocupado pelo PSD, esvaziando-se ideologicamente do socialismo democrático e da social-democracia, passando a ser o PS o partido mais à direita do centro-direita actual, com a praxis política mais reacionária de que temos conhecimento desde o 25 de Abril, fazendo os governos do Cavaco Silva parecerem de extrema-esquerda, e dum socialismo tão profundo como o governo provisório do Vasco Gonçalves, comparado é claro com as medidas deste governo da UNS, vulgo PS.

Os motivos são óbvios demais, mas para que ainda dois ou três Portugueses que não vivem à custa do estado os percebam, são eles:

-A tentativa de fazer passar a regionalização sem recurso a um novo referendo
-A tentativa de criação de cinco novos parlamentos regionais, que além de serem um coito para os arquistas abaixo do mediocre que não conseguem atingir o poder central, nem como deputados nem como sub-secretários de qualquer sub-ministério, serão um poço onde os portugueses irão lançar o seu dinheiro

-A construção de um aeroporto na OTA

- A construção de pelo menos uma linha de TGV, comboio que só atinge a velocidade máxima a partir dos 200 Km, num País que tem 300 Km de largura e 600 Km de comprimento

- A construção de uma nova ponte sobre o Tejo, só para esse projecto que irá servir para o governo espanhol, justique o investimento que fez ou irá fazer com o seu TGV, até Badajoz e que não tem rentabilidade alguma sem atingir Lisboa...

-A destruição do sistema de ensino nacional

-A destruição do sistema nacional de saúde

-A tentativa de implementar um sistema de saúde privado, só para os abonados ou para os parasitas que rodeiam os diversos poderes

-A completa partidarização das TVs e Rádios públicas e agora também dos meios de comunicação privados, veja-se o caso da TVI e mais camufladamente do Diário de Notícias e da TSF

-O regresso da emigração

-O despovoamento do interior do País, com objectivos concretos de criar nos portugueses a ideia que a solução para o seu repovoamento será a regionalização, o que é uma grande mentira

-A implementação dum fascismo do políticamente correcto, onde não se deve fumar, mas que hipócritamente o estado detêm os lucros do monopólio tabagista

-A tentativa de cercear a liberdade dos indivíduos em nome dum pseudo-colectivo, isto também uma forma de fascismo moral-

-A tentativa de se tornar tão socialmente aceite e banal a homossexualidade, que a heterossexualidade passe a ser de mau tom e demodé

-A mentira da qualificação escolar, quando ao mesmo tempo se desprestigia o 12º Ano de escolaridade, banalizando-o tanto que será dado depois a qualquer um, como qualquer medalha de participação num qualquer evento de tiro aos pratos ou de rally-paper, tudo isto só para nas estatísticas pareça à UE que os portugueses são mais letrados, o que será outra mentira, porque o 12º Ano terá dois valores o antes do Socretinismo e o pós-Socratinismo.

-A mentira do valor dos canudos, quando o próprio PM os apresenta em vasta quantidade e muito pouca qualidade

-O desprestígio das Universidades Privadas

...e sinceramente poderia estar aqui a escrever durante mais uma hora, que iria encontrando temas de relevancia para que este governo e este primeiro-ministro fossem imediatamente demitidos, mas o tema do post é; E se O PSD virasse à esquerda ?

Acho que agora é a oportunidade da ala social-democrata de que faz parte, por exemplo o vereador do PSD local, Luís Nascimento, conquistar o poder no partido e o PSD ocupar o espectro político que o PS deixou vago, acho mesmo que será a única saída arquista democrática para Portugal, porque senão restará aos portugueses aquelas saídas fora do sistema democrático, que são os fascismos os comunismos ou pior do que isso tudo, os nacionais-socialismos rácicos, que só por uma grande ironia e com um grande sentido do ridículo, adotariamos, fazendo rebolar de rir qualquer tipo um pouco mais esbranquiçado do que um Iraniano, que analizando bem, até são menos misturados rácicamente e mais brancos do que nós.

Sócrates quer entregar o ouro aos bandidos !


O P.M. de Portugal e líder da União Nacional-Socialista, resolveu que tinha de abreviar a entrega da nossa Pátria aos espanhóis e para isso além de andar a preparar o retalhar de Portugal em cinco feudos para pasto de políticos locais sem escrúpulos que custarão muito mais do que cinco OTAs, isto todos os anos e que servirá para criar mais uma classe de arquistas que se situará entre o poder local e o nacional, enriquecendo-se e enriquecendo os seus sabujos e vigilantes, com a criação de empresas e TVs regionais pagas por todos nós.

Não contente com isso, este líder deste partido de traidores à Nação, resolveu dar poderes aos municípios para assim tornar norma, aquilo que está a acontecer no actual concelho da Moita, que é a especulação imobiliária e o desordenamento territorial de Portugal, passando os REN para onde eram as RANs, conforme os desejos pessoais de cada autarca e dos seus amiguinhos empreiteiros.

Cada medida que este P.M. inventa é um atentado a todos os Portugueses, porque é um homem sem visão nacional e sem objectivos para a nossa Pátria, apenas com um poder de retórica extremamente eficaz, cheio de ambições pessoais de mentalidade rural, armado em pós-moderno e isso também devido à mediocridade de toda a oposição, que agora conta com mais um clone de Sócrates e que pertence à mesma linhagem de malandros sem escrúpulos. o Paulo Portas.

Uma mão-cheia de erros

A gestão moiteira, a começar pela sua cúpula cometeu, desde a sua reeleição em finais de 2005, alguns erros fundamentais de apreciação e acção. Vejamos os principais:
  1. Pensou que ao serem eleitos com nova maioria absoluta, isso lavaria e calaria tudo. Tipo Jardim na Madeira. Se ganho sucessivamente eleições ninguém me pode tocar. Errado, muito errado. A democracia não se esgota no votinho de 4 em 4 anos. Isso é o grau zero do exercício da cidadania.
  2. Achou que a blogosfera local era uma emanação qualquer de alguém ou de interesses particulares de índole partidária. Nessa forma de encarar as coisas revelou mais sobre si do que sobre os outros. Revelou que acha que a opinião e a informação só existem se for ao serviço de "interesses". Sabemos que isso é o que se passa do lado amoitado, mas podiam ter disfarçado melhor. O resultado é que cá estamos e estaremos depois de outros se "aposentarem".
  3. Fez avançar uma 2ª e 3ª linha de aparelhistas e satélites, de fraquíssimo nível e formação política, para tentar intimidar ou descredibilizar as vozes críticas, com ameaças de revelação de "verdades" de tipo certamente "bombástico". O resultado foi do mais pífio, porque o aparelhismo amoitado, acomodado à teta do poder sem necessidade de grande esforço, não tem sequer meia dúzia de criaturas capazes de alinhar um pensamento com lógica e fundamentação. Por outro lado, ao esconder-se demoradamente atrás desse tipo de peões, os "chefes" preferiram o silêncio, o que é sempre errado. Agora desataram a "falar" e tem sido o que se viu. Disparate sobre disparate.
  4. Menosprezou o movimento de constestação à implementação do PDM, optando por querer sempre colá-lo aos tais "interesses" e mentindo despudoradamente, por interpostos fantoches, sobre as ligações dos activistas de tal contestação. Agora estão a mãos com uma iniciativa de amplitude inaudita no concelho que lançará os holofotes sobre um assunto que queriam manter oculto nos meandros do labirinto burocrático.
  5. Esqueceu-se que ainda há comunistas dentro do PC local e que muita gente vê com enorme incómodo e desconforto o que se passa na CMM e só não "dá a cara" em homenagem à velha disciplina partidária e porque receiam que o poder caia na rua e em mãos estranhas às do Partido de sempre.

domingo, abril 29, 2007

Ora bem...



... a malta quer é pôr as mãos na massa (última página do DN de hoje).

Um Blog de Referência !


Embora não considere o fascismo e o nazismo a mesma coisa como comentei no ARRE-MACHO:

"AV disse...
Acho que o nazismo e o fascismo, não deveriam ser definições idênticas, penso que o fascismo como sistema político,terá sido uma tentativa de arquismo de salvação nacional, na Itália e aqui em Portugal com o Nacional-Sindicalismo e no Brasil com o Integralismo Brasileiro, que foram dois movimentos/partidos ilegalizados, aqui em Portugal por Salazar e no Brasil por Getúlio Vargas que viram nesses movimentos proto-fascistas, um perigo para os seus corporativismos arquistas tradicionalistas e ligados ao Catolicismo, de que esses movimentos fascistas eram ferozes opositores.
28 Abril, 2007 18:47"

Considero o http://anti-pnr.blogspot.com/ a ideia mais importante de reacção contra os filhos da puta dos nazis, a minha posição é muitas vezes conotada com as próprios nazis, porque defendo que essa sub-espécie terá de ser eleminada, pela acção directa e usando as mesmas armas e os mesmos métodos por eles utilizados, mas ao ler o blogue compreendi que os nazis portugueses são também vítimas duma grande fraude que lhes é imposta pelos líderes nazis do pnr e dos outros movimentos que utilizam o nacionalismo como a grande mentira, porque são seguidores do nazismo, que é de origem Alemã.

AV2

AVP Som da Frente


Patrick Wolf, The Magic Position

As Quatro Fases do 25 de Abril


1ª fase – O 25 de Abril como Revolução
Nos primeiros anos que se seguiram a 1974, a comemoração do 25 de Abril foi profundamente festiva e hegemonizada fortemente por aquilo que se consideram as forças políticas da “esquerda” nacional, apresentadas como directas herdeiras da oposição ao Estado Novo e, por isso mesmo, com um capital de legitimidade insuperável para apresentarem os acontecimentos de Abril de 1974 como “seus”.

Combinação entre protagonistas e analistas. São os actores do que se passou que fornecem as principais leituras dos acontecimentos.

2ª fase – O 25 de Abril como Indefinição

Com o passar do tempo, surge uma segunda geração de figuras, tanto como protagonistas como no papel de analistas. (Anos 80).

3ª fase – O 25 de Abril como Evolução

Em seguida, temos a fase em que o “revisionismo” se torna mais forte e em que a memória já é construída em grande parte pelos “vencedores” finais de todo o processo. Quando a versão da História é aquela que coincide com os interesses do(s) grupo(s) que conseguiram

4ª fase

Ainda não atingimos o momento em que os actores desapareceram, deixando apenas os seus testemunhos que, já não sendo de viva voz, podem ser “pilhados” da forma mais conveniente possível e se tornam passíveis das mais variadas apropriações e simplificações. É o caso verificado, por exemplo, com o 5 de Outubro e o 28 de Maio, reduzidos no discurso comum actual, a acontecimentos de uma lógica, clareza, simplicidade e linearidade que nunca tiveram.

Aumente o seu pénis...

...aumente-o até ficar do tamanho de um pénis dum cavalo !





Nova empresa dedicada aos equídeos, neste caso aos pénis equidais, a instalar no PARKIM de Alhos Vedros.
A Empresa "Pénis de Tamanho Cavalar" enviou-nos esta publicidade que apresentamos a todos os leitores e leitoras de ambos os sexos.

AVP Reportagem

Olhás belas cavalgaduras...


Fotos do Brocas

AVP Institucional


21º Aniversário da CACAV

"NOITE DE LUA CHEIA"

"Em Maio Vamos Cantar Zeca Afonso"




No decorrer do mês de Maio/2007, vamos comemorar o 21 º Aniversário da CACAV.

Vamos festejar 21 anos de um percurso colectivo, feito de encontros, amizades e tantas descobertas, que nos levam a ter saudades do futuro.

Foi no dia 9 de Maio de 1986, que "nasceu" a CACAV, passados 3 anos de gestação.O caminho já vai longo, com muitas encruzilhadas, e muitos acrescentos que fizemos à nossa vida.
Apesar de tudo, temos motivos para sorrir!

No próximo dia 12 de Maio (Sábado), convidamos todos os sócios e amigos, a participarem na "Noite de Lua Cheia", que terá lugar na antiga fábrica da Guston, pelas 22 horas.
Vamos estar juntos, com a poesia à solta dedicando a Zeca Afonso, um momento muito especial!

Programa forte, bastantes surpresas e alegria com lotação esgotada!

Apareçam e tragam amigos!


Saudações!

A Direcção da CACAV

AVP Económico

Nuvens negras pairam sobre o empreendedorismo empresarial local depois da decisão da CMM autorizar os seus serviços a limpar as bostas da VII Romaria a Viana do Alentejo (Versão 2007.02).
Duas empresas que estavam a ser criadas com grande investimento de capital cultural - a Bost-o-Matic e a Bostóminut - encaram assim com grande apreensão o seu futuro, visto que irão perder um negócio que se adivinhava florescente, pois a Moita é terra de muita bosta à mostra, para além de que vem aí a Feira de Maio, outro momento grande para a produção bostífera moiteira e consequente necessidade de a remover da via pública.
Deste modo, perdido o negócio da romaria, ficando só as sobras das bostas da Feira de Maio e a porcaria derivada que normalmente os moiteiros produzem nas esplanadas e ao andarem pelas ruas (pois nunca conseguem acertar nas papeleiras com os restos dos maços de cigarros, os papéis envolventes dos gelados ou qualquer lenço de papel a que se tenham acabado de assoar) estas empresas deverão ver-se obrigadas a lançar uma OPA mútua de maneira a ficar só uma a operar na Moita e assim assegurar um nível de rendimentos tido como aceitável para qualquer empresário de sucesso que queira fazer uma mansão em terreno comprado em tempo de vacas magras no Penteado e que se espera urbanizável a curto prazo. Fora a compra de um novo jipe.

sábado, abril 28, 2007

Informação regional de qualidade

Apesar de já terem passado mais de 24 horas sobre o conhecimento público, e admissão pela própria, que a Presidente da Câmara de Setúbal foi constituída como arguida, juntamente com outros vereadores e funcionários da CMS, no caso das reformas compulsivas, portais informativos regionais como o Setúbal na Rede, o Repórter Online, o Rostos Online ou mesmo o zombie Distrito Online ignoram tal facto.
No entanto, anota-se toda a outra informação relevante que por lá vai, em especial a originada em notas de imprensa das autarquias amigas.
E o engraçado é que há quem cobre publicidade e ganhe dinheiro com estes serviços.
Se não fosse o Região de Setúbal é como se nada existisse.
Nada como boa informação, sempre actual e rigorosa, seguindo critérios de imensa transparência.
E se calhar até há quem tenha carteira de jornalista no meio disto tudo.

Ambas as Bostas serão homologadas


Recebemos da empresa, "Bandeirinhas da Bosta" esta declaração:

"A CMM numa atitude de sentida responsabilidade para com a saúde pública homologou as Bostas da Romaria AEM, por isso apresentamos ao Srº João Lobo a versão das Bandeirinhas da Bosta, para que sejam colocadas nas bostas dos romeiros alternativos à Romaria CMM/ARTM, para que desse modo sejam também retiradas.

Lembramos ao Edil da CMM, que a empresa "Bandeirinhas da Bosta", foi uma empresa criada num minuto, o que seguramente é mais do que uma bosta pode levar a sair do orifício anal de qualquer equídeo e que o processo de colaboração com a CMM de que temos o prazer de já tradicionalmente, desde Março de 2007, nos ter assegurado que as bandeirinhas seriam postas nas Bostas.

1000 bostas X 1000 bandeirinhas podem por isso transformar-se em 1500 bostas X 1500 bandeirinhas, o que será um bom começo para a nossa empresa !"


Bandeirinhas da Bosta, S.A.

AVP Divulgação



Já só faltam três semanas. Vai dar brado. Para mais informações ir aqui.
E o poder moiteiro, meio atarantado, anda para aí a escavar a arca dos truques rasteiros para tentar atrapalhar a coisa. Até aposto.
Mas contem connosco para desmascarar qualquer sacanice.

A Fé é a coisa má'linda!



Imagem da primeira página da edição desta semana do jornal Margem Sul.

Será que eu fui do PSD?


É que achei diversa papelada de um dos encontros a que fui sobre defesa ambiental nos idos dos anos 80, no caso organizado pela Geota que agora nem sempre nos lembramos ter sido uma criação dependente do IPSD e cujo som do acrónimo é muito próximo de jota.
Ainda não tinham reparado?
Mas lá que a coisa até me parece ter sido interessante à data, lá isso parece.
Cá para mim fui um laranjinha e nem dei por isso!

A prova documental


De que alguém fez ver a João Lobo que o ridículo e o autoritarismo têm os seus limites.
O cidadão JL pode detestar seja quem for, desgostar que romaria quiser.
Já o presidente de câmara, apesar de pertencer a uma certa confissão partidária com clientela certa, deve pelo menos fingir que serve o interesse público de forma justa e equitativa para todos nos cidadãos.
Por razões que o meu entendimento adivinha, a JL falha por vezes o sentido da posição que ocupa e revela todo o espírito moiteiro, prepotente e discriminatório, no exercício do cargo.
Afinal os serviços da CMM sempre vão limpar a porcaria deixada pela 2ª romaria do ano a Viana.
Esta admissão da asneira peca por ter sido necessária e por ser tardia.
Mas mais vale emendar a mão do que insistir no erro.


sexta-feira, abril 27, 2007

Catrapum...

Do Público:
«Presidente da Câmara de Setúbal constituída arguida no caso das reformas compulsivas
A presidente da Câmara de Setúbal, Maria das Dores Meira, foi constituída arguida no âmbito das suspeitas de conluio entre autarcas e trabalhadores devido à reforma compulsiva de dezenas de funcionários da autarquia.
"Já prestei declarações na Polícia Judiciária e já fui constituída arguida", disse hoje à Lusa Maria das Dores Meira, adiantando que todos os vereadores em exercício na altura em que foram aprovadas as reformas compulsivas (os 60 trabalhadores que beneficiaram das mesmas e duas juristas da autarquia) já foram, ou vão ser, ouvidos pela Polícia judiciária.»


... mais um tiro naquela coisa do trabalho, competência e não sei o quê mais.
Já agora, quem é que vem a seguir na lista?
Ou para Lisboa pedem-se eleições, mas para Setúbal nadica de nada?
Ou há coerência ou comem todos pela medida grande.

Mas por um lado, isto podem ser boas notícias e um balão de oxigénio, para o poder moiteiro, porque nunca é conveniente acumularem-se dois empurrões pela borda fora muito próximos.
Por isso deve haver quem esfregue as mãos por aí, pois há males...

Noite Fria

Não tarda nada apanho uma constipação maior do que os resistentes que na 4ª feira penaram para ouvir o Mário Laginha no Moinho de Maré.

AVP Clássico


Se o meu camarada co-editor pode passar-se como dois posts abaixo, eu também posso.

ÚLTIMA HORA!!!

Parece que já não vai haver bosta pelas ruas, na sequência da partida da 2ª VII Romaria a Cavalo a Viana do Alentejo.
O shôr Presidente deu o escrito por não escrito e parece que desceu à Terra e vai mandar os serviços limpar a merda que el, digo, que os outros vão fazer.
Esperamos em breve poder apresentar prova documental do que afirmamos, assim a fotocopiadora nº xis funcione como deve ser lá no gabinete tal, da divisão ipsilone.

AVP didáctico

NORMAS SOBRE E-MAILS PELA 1ª VEZ ALGUÉM ESCREVE UMA COISA SÉRIA SOBRE O TEMA. A ORIGEM É UMA CONHECIDA EMPRESA INFORMÁTICA.

Vamos lá aprender com os E-Mail de uma vez por todas... e livremos a Internet de 80% dos vírus e entulho...

O MAIS IMPORTANTE:Quando vocês reenviarem mensagens, retirem os nomes e endereços de e-mail das pessoas por onde esses e-mails já passaram.

Há programas a rodar na Internet para "apanhar" tudo o que estiver antes e depois de um "@", isso é vendido a Spammers, que muitas vezes espalham vírus.

Quando mandarem uma mensagem para mais do que uma pessoa, não enviem como "Para" nem com o "Cc", (ouviram????) enviem com o "Cco" (carbon copy ocult) ou, de preferência, " Bcc"(blind carbon copy), que não vai aparecer o endereço electrónico de nenhum destinatário...

1) As grandes empresas NÃO usam correspondência do tipo corrente(chain-letters). A Microsoft e a AOL NÃO estão a oferecer US$ 245 a cadareenvio de e-mail. A Ericsson e a Nokia NÃO estão a oferecer telemóveis. Aliás, pense bem, como é que eles vão saber se você reenviou estese-mails para outros endereços?

2) A BAYER e a NESTLÉ NÃO estão a dar kits gratuitos para quem reenviare-mails e mandar a confirmação para o endereço indicado.

3) A MTV NÃO vos dará o direito de ficar nos bastidores se vocêsremeterem correspondência a um monte de gente.

4) NÃO é porque alguém escreveu, quatro degraus antes na pirâmide, que éverdade (observem, é mais uma mera mentira).

5) NÃO existe uma organização de ladrões de fígado ou outros orgãos.Ninguém acorda numa banheira cheia de gelo, mesmo se um amigo jurar queisto aconteceu ao primo do amigo do conhecido dele.

6) Se o(s) último(s) desastre(s) envolvendo foguetes da NASA espalharam partículas de plutónio sobre a Costa Leste Americana, vocês acham,realmente, que esta informação chegaria ao público por e-mail?

7) NÃO existem os vírus "Good Times", "Bad Times", "Sapos Budweiser", etc.Na verdade, vocês NUNCA, mas NUNCA mesmo, devem reenviar qualquer e-mailalertando sobre vírus antes de confirmarem num site fiável de umacompanhia real, que estas o tenham identificado.

8) Cortem aqueles quilómetros de cabeçalhos com endereços dos e-mail's.

9) Existem mulheres que estão realmente a sofrer no Afeganistão, e asfinanças de diversas empresas filantrópicas estão vulneráveis, masreenviar um e-mail NÃO ajudará estas causas. Se vocês quiserem ajudar, procurem a melhor forma junto da vossa Junta de Freguesia, a AmnistiaInternacionalou a Cruz Vermelha. E-mails com "os abaixo-assinados" geralmente sãofalsos e nada significam para quem detém o poder para fazer alguma coisa sobre o que está ser denunciado. São meios de obter endereçoselectrónicos.

10) NÃO existe nenhum projecto para ser votado no Congresso Brasileiroque reduzirá a área da Floresta Amazónica em 50%. E nem para deixar de cobrar portagens. Portanto NÃO percam tempo nem "façam figuras tristes"assinando e reenviando aqueles furiosos abaixo-assinados de protesto, oucomunicando este tipo de coisas.

11) Vocês NÃO vão morrer nem ter azar no amor se rebentarem uma corrente. Sejamos inteligentes e recusemos essa maneira imbecil de ajudar oshackers e os spammers (propagandas).

12) Escrever um e-mail ou enviar qualquer coisa pela Internet é fácil...NÃO acreditem, automaticamente, em tudo. Observem o texto, reflictam, analisem tudo isto antes de reenviarem aos amigos.

13) Quando recebemos mensagens pedindo ajuda para alguém, com algumafotografia comovente, NÃO reenviem apenas "para fazerem a vossa parte"...pode haver alguém cheio de más intenções, por de trás deste e-mail...verifiquem a veracidade das informações... Afinal, próximo da vossa casa há sempre alguém carente que vocês poderão ajudar, se esta for a vossa opção de vida.

14) Cuidado! Muito cuidado com as mensagens-lista de dados de pessoas, que cada um vai assinando, colocando os seus endereços, telefones reais ereenviando... Podem facilmente ser utilizadas por assaltantes, sequestradores, piratas informáticos, etc.

15) Agora, SIM, ENVIEM esta mensagem aos vossos amigos e conhecidos, eajudem a colocar ORDEM nessa imensa casa chamada Internet. Lembrem-seque, todos os dias chegam milhares de inexperientes à Internet, e quanto mais pudermos ensinar, será de grande valia para todos.**********No reencaminhamento deste mail, apague os endereços de e-mail nelemencionados. Use também o BCC (em vez do "to/para"). Proteja a sua privacidade E, sobretudo, A DOS OUTROS !!!

O que vejo eu?



Perigo, perigo.
O poder moiteiro já desfralda as bandeiras da conspiração socialisto-bloquista, apadrinhada por nós e dinamizada pela contestação ao PDM, com o apoio da imprensa capitalist ae do Poder Central.

Foto do conspirador-fotógrafo Brocas

Beijo na Boca

O que foi dado hoje por José Sócrates aos autarcas em pleno debate mensal no Parlamento.
Agora os PDM's já podem ser aprovados com menos controle e os licenciamentos e planos de pormenor, idem, idem, aspas, aspas.
Diz que é para descentralizar, aligeirar e modernizar.
Neste caso, certamente que não teremos a situação local moiteira e amoitada a dizer que é o papão do Neo-Liberalismo.
Embora seja a mesma lógica do recuo do Estado Central na Saúde, Justiça, Educação e Segurança Pública.
Depois, quando as coisas correrem mal e ficar tudo uma manta de retalhos, a culpa será obviamente dos autarcas e de quem os elegeu.
E estes é que se lixam, porque os outros aposentam-se novos.

25 de Abril de 1974 – A Memória

25 de Abril de 1974 – A Memória



A nossa memória dos acontecimentos passados nunca é objectiva e nunca consegue retratar de forma exacta o que se passou, sendo isso ainda mais grave quando se trata de fazer a interpretação desses mesmos acontecimentos, extrair-lhe um sentido e relacioná-los na sequência de tudo o que os antecedeu, buscando-lhes as causas próximas ou profundas, e lhes sucedeu, tentando perceber se o que veio depois a ocorrer já estava mais ou menos predeterminado.
Porque estivemos envolvidos directamente no que se passou e esse envolvimento perturbou a nossa percepção, ou porque não fomos testemunhas directas e dependemos dos relatos de outros, a reconstituição de momentos marcantes do passado histórico acaba por resultar de uma construção feita pela nossa memória, que selecciona e combina diversos elementos, de acordo com padrões condicionados por questões afectivas ou por motivações particulares.
No caso de acontecimentos tão relevantes e simbólicos como o 25 de Abril de 1974 este fenómeno de construção da memória assume ainda maior importância porque, aos aspectos individuais, acrescem os elementos culturais, ideológicos e políticos que pretendem condicionar a forma como será transmitida e preservada essa memória colectiva, que se torna assim motivo e palco de acesa disputa por parte dos diferentes grupos em luta pela hegemonia do Poder, político, económico e/ou cultural.
Protagonistas, motivações, acções, tudo se torna com o passar do tempo, motivo de revisão, reapreciação e reconstrução, conforme os pontos de vista, ideológicos e não só, e a(s) agenda(s) daqueles que pretendem tornar-se os guardiães preferenciais da memória.
A (re)construção da memória torna-se, em grande parte, uma estratégia de legitimação da posse do Poder por um determinado grupo que, por essa via, procura demonstrar como a situação presente estava já definida geneticamente nas acções (positivas) do passado.

Isto verifica-se com eventos e datas simbólicas como a Restauração (1 de Dezembro de 1640), a Revolução Liberal (24 de Agosto de 1820), a Implantação da República (5 de Outubro de 1910), a “Revolução Nacional” (28 de Maio de 1926) ou a própria “Revolução dos Cravos”.
Os momentos preferenciais para a reconstrução da memória colectiva são as comemorações desses acontecimentos simbólicos, fazendo-se esse esforço sentir desde os primeiros tempos, embora com o afastamento temporal essa acção sobre a memória possa ganhar maior eficácia.

É particularmente interessante analisar, por um lado, o ênfase colocado nos diferentes protagonistas dos acontecimentos e, por outro, a composição daqueles que vão aparecendo como analistas desses mesmos acontecimentos.
Tudo isto depende da própria evolução política

quinta-feira, abril 26, 2007

AVP Memória

Romaria do AVP em perigo


Em virtude da acção de alguns camaradas "anarcolibertários" (na terminologia pequeno-burguesa do regime arquista) mais jovens e inflamados, que acabaram por se envolver justificadamente com as forças da repressão policial em Lisboa no na zona do Chiado ao protestarem contra a mercantilização da antiga sede da PIDE, a romaria que o AVP procurava organizar entre a Moita e Viana do Alentejo entre 29 de Abril e 1 de Maio - a primeira romaria anarquista da História Universal, depois do Calvário de Cristo - pode vir a ser cancelada, pois de acordo com a imprensa, foi apreendida "diversa simbologia anarcolibertária" que queríamos usar na iniciativa.
Assim ficamos limitados a andar a pedinchar por aí a imagem de um qualquer santo de pau oco e a malta tão baixo não desce.
Para além de que também ainda não tínhamos conseguido assegurar o patrocínio de uma marca de fraldas para jumentos e bestas incontinentes, pois já se sabe que o poder moiteiro só limpa a sua própria merda.
Deste modo, a já tradicional (já pensamos nisso há umas semanas, por estas bandas já serve como tradição secular) Romaria AVP vai esperar por melhores dias.

Também quero ser "Alto" qualquer coisa

Jorge Sampaio, mais um tuga num "alto" cargo decorativo de utilidade nula.
Se fosse com base nestas notabilidades, ainda acreditávamos ser um país importante.
E logo o Sampaio, que mal se percebia quando falava entre nós, vai ser giro a fazer dialogar as civilizações.

Ao serviço do projecto AVC



Que é como quem diz o Alhos Vedros Catumral.
(a foto é do Brocas)

Não é ser má-língua

Mas aquele redondel que vão fazer ali na entrada poente de Alhos Vedros, antes da Kleo, sendo necessário, parece-me que não vai pelo bom caminho.
Não sou engenheiro, e muito menos pela Independente ou pelo Piaget, mas dá para ver.

Em defesa da Escola Pública



Mais uma iniciativa ao nível da não realização da Carta Educativa, do tardio arranque do Conselho Municipal de Educação e do não apoio às Actividades de Enriquecimento Curricular.
E eu até me lembro que este homem foi professor na Escola de que agora promove o desvio de alunos através de uma parceria voluntária.
Porque uma coisa é reconhecer o papel da iniciativa privada, outra é incentivá-lo contra o que se afirma defender.
Maravilhoso.
E depois os outros é que são isto e aquilo.
Chapéus há muitos.

Eu já acredito na tal conspiração



É que já não é credível que tudo sejam coincidências.
É demasiada asneira seguida.
Caramba, o erro não é grave, mas isto é numa papeleta - o livrinho sobre o Fórum o Desporto da Península de Setúbal - com grande divulgação e até uma boa qualidade.
E a frase acaba daquela maneira? "Tanto atleta, como dirigente"? Não deram pela falta de nada? A sério?
É o que dá ser engenhêro.
Também bacharel como o outro, mas com licenciatura passada a ferro no Piaget.
Daquelas feitas não ao domingo, mas ao sábado.
Ou então é alguém no departamento de comunicação que escreve com os pés.
Ou é mesmo alguém que faz isto para que gozem com a cara do homem.
E depois ainda havia quem andasse por aí a chamar ignorante e coisas piores a amigos nossos blogueiros.
Querem maior ignorância que isto?
Contratem lá o(a) licenciado(a) em Literaturas, que já é demais.
Paguem-lhe a peso de ouro, mesmo se for gordinho(a).
Mas eu até acredito que acabem por contratar uma jovem camarada jeitosinha.
É que qualquer dia ainda temos um cartaz a proclamar a Mouta no Maipa.

quarta-feira, abril 25, 2007

A Democracia no Ensino



Talvez o blog mais verrinoso que anda por aí.

E o Maior Comunista do Concelho da Moita é...


... o camarada bloguista O Broncas do Arre-Macho, com 60 votos e 22,8% das preferências do eleitorado popular.
As más línguas dizem que ele a meio da votação mobilizou as massas para votarem nele e ganhou um avanço que nunca mais perdeu.
Como só se pode votar uma vez por dia e os editores do blog têm restrições quanto à sua votação como os outros, o nosso 2º lugar não deixa de ser estranho pois 44 votos e 16,7% em tipos que são acusaados pelos amoitados de serem anti-comunistas primários é giro, muito giro.
Entretanto, 16% (42 votos) optaram por afirmar que já não há comunistas no concelho, o que deve deixar Manuel Madeira (36 votos, 13,7%), Leonel Coelho e Joaquim Raminhos (25 e 22 votos, respectivamente, abaixo dos 10%), um bocadito chateados.
Curioso, curioso é que nenhum dos nomes ligado ao poder autárquico actual ficou em posição de destaque, ocupando mesmo os três últimos lugares da lista de preferências Joaquim Gonçalves (o carismático presidente da Assembleia Municipal e formador dos jovens quadros locais), Fernanda Gaspar (a multiplatinada Presidente da JFAV) e João de Almeida (o anterior Presidente moiteiro que saiu do palco pela esquerda baixa em silêncio e nunca mais surgiu á superfície).
Glória ao Vencedor.
E um grande molho de bróculos para os outros, nós incluídos.
Agora vamos partir para uma outra sondagem, mais prospectiva.

Quem diz que hoje não se trabalha?


Trabalha-se e trabalha-se sempre em excelentes causas.
Em Lisboa, o Poder Local Democrático decretou que cerca de 40 da centena de plátanos que envolvem o Campo Pequeno, apesar de saudáveis, apresentam "problemas na base de sustentação", o que pode fazê-los cair, pelo que o melhor é cortá-los.
Claro que a Câmara de Lisboa parece esquecer-se que a falta de base de sustentação para as raízes foi causada pelas obras deitas com a sua licença mesmo ali por baixo, de modo a danificar ou impedir o desenvolvimento das ditas raízes.
Desta forma, hoje o dia foi de continuação do abate.

Sejam amigos...

... arranjem-me lá fotos da primeira romaria comunista da história deste e do outro mundo!
É que eu fui passear à outra margem e de qualquer forma gosto de primar pela discrição e não dar pelas vistas nestes eventos.

Há 33 anos, mais hora menos hora...

Antes...

Poder à Palavra

terça-feira, abril 24, 2007

O homem anda claramente perturbado

Se tudo é ruído, calúnia e desinformação, justifica-se um editorial sobre o assunto numa publicação paga pelo erário público, onde ninguém tem direito a contraditório?
Shôr presidente, tenha noção das coisas.

Afinal, não é só o amor que é um fogo que arde sem ser ver!

O regresso de Bonixe, o Sempre-Fixe

Pelos vistos o homem é dos que andam por aí e não deslargam.
No Notícias Populares deixaram-no escrever um texto de opinião em que ele descarrega as amarguras em cima dos blogues. Parece que do alto da sua sapiância jornalísticas acha que não pretam um bom serviço e que criticam mal e injustamente os jornalistas. Afirma mesmo que não são usados argumentos e enrola-se numa daquelas prosas que padecem de mal bem pior dos que denuncia.
Na prática, ataca moinhos de vento que não nomeia especificamente, não concretiza e esgravata na atmosfera sem se perceber bem ao que anda.
Só lhe faltou bater no anonimato.
'Tadinho dele, que bem levou nas trombas de nós (e não só) por causa da trioste e vil peça que fez sobre a blogosfera local/regional.
Mas com boas razões, argumentos bem explicadinhos e referência ao Código Deontológico dos Jornalistas que ele deveria conhecer como "Prof. de jornalismo no ensino superior".
Pobres alunos.
Resta saber se é na Universidade Independente.
E já agora, para a próxima seria melhor usar uma foto menos tótó.
Isto não é um argumento eu sei.
Nem pretende ser.
Mas mesmo assim é melhor que toda a prosa bonixiana.

Homem rico, homem pobre

O Jornal do Pinhal Novo já tem espaço funcional na net.
O da Moita pelo menos já desistiu de anunciar o site.

O Poder Local antes do 25 de Abril

Era um poder autista, fechado sobre si mesmo, só amigo de uma elite que entrava nos seus negócios, que distribuia lugares só a quem tinha cartão da UN, monopartidário, impermeável às críticas e que perseguia e procurava caluniar quem discordava das suas opiniões.

Como podemos ver, 33 anos fazem muita diferença.
Viva o Poder Local Democrático!

25 de Abril de 1974-O Acontecimento

25 de Abril de 1974 – O Acontecimento


Os acontecimentos do dia 25 de Abril de 1974, na sua natureza essencial mais objectiva, tomaram a feição de um golpe de estado de cariz militar, com os objectivos de substituir a elite política no poder e de alterar os principais aspectos do regime em vigor, no sentido da sua liberalização e da eliminação do seu aparato repressivo autoritário.
Cerca de uma semana depois, nas manifestações populares massivas do dia 1 de Maio de 1974 (declarado feriado pelos novos governantes), a anterior caracterização já se encontrava ultrapassada em virtude da fortíssima movimentação social em decurso que, em grande parte de forma espontânea mas também com algum enquadramento por parte de algumas forças políticas e sociais, começaria desde cedo a pressionar os novos actores da situação política emergente no sentido do alargamento do programa inicialmente previsto pela coligação de motivações que dera origem ao Movimento dos Capitães.

«(...) mais do que no dia 25 de Abril, será no dia 1 de Maio que se poderão encontrar factos comprovativos dos termos do contrato político entre o MFA e a mobilização popular, não só nas grandes cidades como um pouco por todo o país.» (J. Medeiros Ferreira, Ensaio Histórico sobre a Revolução do 25 de Abril, Lisboa, 1983, p. 36)

Esta tensão entre o programa inicial do Movimento - que na sua formulação de mínimo denominador comum, era relativamente neutro do ponto de vista ideológico e minimal no plano de reformas previsto – e os imprevisíveis efeitos da agitação social que se começava a avolumar, fez-se sentir de forma determinante ao longo dos dois anos que se seguiram, deixando sequelas directas até ao início da década de 80 e levando ao gradual f(r)accionamento entre os diferentes grupos que tinham constituído o MFA (e os seus apoios na sociedade civil e no nascente sistema partidário) quanto a orientação a dar ao que já se adivinhava vir a ser uma revolução política e social.
Em termos individuais, a polarização maior aconteceria entre dois dos três principais protagonistas do 25 de Abril, ou seja, entre Otelo Saraiva de Carvalho (o estratega do movimento) e António de Spínola (a figura tutelar desse mesmo movimento), já que o operacional de serviço, Salgueiro Maia, procurou sempre manter-se afastado do primeiro plano das disputas pelo poder, latentes desde os primeiros dias do novo regime.

«Na noite de 25 para 26 desenrolam-se, porém, os primeiros confrontos entre Spínola e os seus fiéis, por um lado, e os oficiais que haviam coordenado as operações de derrube do regime e se assumiam como os dirigentes do Movimento, por outro. Aqueles procuravam apoderar-se do comando dos objectivos conquistados, enquanto Spínola se recusava a aceitar a inclusão no Programa do MFA do reconhecimento do direito dos povos à autodeterminação.» (A. Reis, Portugal – 20 Anos de Democracia, Lisboa, 1994, p. 18)
Enquanto o sector do MFA ligado a Spínola tinha uma agenda política moderamente reformista que não pretendia a completa dissolução do aparelho de Estado (polícial, político, administrativo) herdado do Estado Novo, o sector mais “progressista” em termos ideológicos, rapidamente procuraria fazer avançar a situação para um processo revolucionário mais profundo. Se o final da Guerra Colonial era uma prioridade absoluta, a solução a adoptar para a relação com os territórios ultramarinos não era consensual, oscilando-se entre o federalismo spínolista com concessão de autonomias relativas a alguns territórios e um rápido e puro processo de descolonização por via da completa autodeterminação de todas as colónias. Se a liberalização era outra prioridade, a modalidade do regime a adoptar era outro ponto de discussão, existindo apenas um terreno comum numa concepção de democracia parlamentar vaga, que tanto podia ir de uma versão conservadora (em que o PC e as tendências mais esquerdistas não eram perfeitamente bem-vindas) a uma versão democrática socialista popular (em que todas as tendências não marxistas sofriam o risco de exclusão).
O resto do ano de 1974 e 1975 passariam na
Indefinição
Luta pela predomínio.
Solução intermédia, proposta pelo grupo dos 9.

De qualquer modo, o golpe militar/revolução de 25 de Abril de 1974 foi um momento único de deposição de um regime mantido longamente graças à inércia e receio da maior parte de uma nação adormecida, incapaz de se mobilizar de forma eficaz contra a ditadura, fora de esferas oposicionistas restritas, fossem elas de matriz republicana (mais elitistas e intelectuais) ou comunista (mais enraízadas no tecido social de parte do país).
Resolvido de uma forma globalmente pacífica, o golpe militar despertaria uma energia longamente adormecida na generalidade do povo português, que aproveitaria a novidade de uma liberdade que quase ninguém experimentara no seu tempo de vida para se expressar de forma festiva e vibrante, quando ainda não se conhecia exactamente em que direcção a Junta de Salvação Nacional iria conduzir o novo regime, a que formas de legitimidade recorreria e que projectos tinha para o futuro, a curto ou médio prazo.
Claro que existe uma diferença abissal, apesar dos pontos de contacto, entre a forma como foram vividos esses tempos por parte dos principais protagonistas de topo dos acontecimentos, da generalidade da população, enquanto multidão nas ruas, ou por cada um dos indivíduos na sua esfera privada de aspirações e/ou receios.
Os primeiros disputavam o controle do Poder, enquanto os últimos procuravam perceber de que forma a sua vida se iria alterar e melhorar com a nova situação. Enquanto massa com uma dinâmica e características colectivas próprias, as multidões representavam, por um lado, a manifestação pública das aspirações comuns da maioria da população mas, por outro, o instrumento privilegiado para a manipulação por parte das diversas facções do novo regime e um campo de batalha político indirecto.

No entanto, na última semana de Abril de 1974 viveu-se um momento único e praticamente irrepetível, de alegria espontânea e ainda não enquadrada por nenhum tipo de estruturas políticas que, na tentativa de a capitalizarem, a viriam a desvirtuar e instrumentalizar pouco tempo depois.
Nessa semana, a alegria transbordou e foi vivida por quase todos sem preocupações do que o futuro reservava, apenas com o prazer da sua própria fruição.
A partir do 1º de Maio, na sequência dos regressos do exílio de Mário Soares e de Álvaro Cunhal e das movimentações de bastidores para a constituição de partidos políticos destinados a enquadrar as diferentes correntes de opinião em formação na sociedade portuguesa e as diversas formas de sentir o futuro do país, a espontaneidade irá cedendo gradualmente e a mobilização popular irá ser “organizada” cada vez mais de acordo com interesses que obedeceriam a lógicas da luta pelo poder ao nível do topo.É a partir desse momento que começam as disputas sobre o verdadeiro sentido dos acontecimentos de 25 de Abril de 1974, disputas essas que seriam desenvolvidas tanto ao nível da luta pelo Poder herdado, como da luta pela construção da Memória do que tinha ocorrido.

segunda-feira, abril 23, 2007

A Revolução vai fazer a idade de Cristo


Isso será alguma espécie de sinal?
Espero que não.
Mas andam por aí uns Judas à solta que por 30 dinheiros...

(cartoon de Zé Oliveira)

Agora quanto à substância...

... o comunicado da concelhia da Moita abaixo citado padece do mesmo mal da declaração do Mariano Gago sobre a Universidade Independente.
Mistura alhos com bugalhos.
Uma coisa é dar patada na malta do PS por eles agora parecerem, na tal liguagem coiso e tal, quase mais comunistas que os comunistas.
Outra é misturar isso com a história do PDM e insinuações várias que, essas sim, são caluniosas, quando se afirma que as outras é que são calúnias.
Mas eu percebo que estejam a cerrar fileiras e a querer mostrar força e unidade.
E que o shôr presidente esteja um bocado aflito e queira co-responsabilizar o resto da malta, em nome dos serviços prestados à causa.
Para não sair pela esquerda baixa como o antecessor, cujo rasto complicado andou pressuroso a cobrir nestes anos.
Porque o comunicado do PS, por si mesmo, não justifica tanto alvorço.
Mas nunca se esqueçam da doutrina Pimenta Machado acerca da verdade dinãmica, que aliás um dos elementos da concelhia gosta de arvorar como filosofia particular.
E não se arrisquem muito pela doutrina Fátima Felgueiras de ser a eleição o método de lavar mais branco.
Ou mesmo pela doutrina Valentim Loureiro, aquela que afirma que mesmo que tenha feito uma coisa, desde que não possa ser provada em tribunal por inadmissibilidade técnica da prova, é como se não tivesse feito.

Mas eu reteria essencialmente este parágrafo que se segue para memória futura, em especial as partes assinaladas a negrito, sobre anão partidarização do PDM (acredito que alguns empresários de sucesso não votem no Partido, lá isso acredito) ou sobre posições a tomar posteriormente (cheira-me a que adivinham borrasca):

«Mas perante a mentira e a calúnia que visa denegrir o Presidente da Câmara e os vereadores da CDU, a propósito do PDM que desde a primeira hora entendemos não partidarizar, e independentemente da posição que venhamos a tomar posteriormente, por o mesmo se encontrar em fase de aprovação, é altura da Comissão Concelhia da Moita do PCP colocar o seguinte»

O resto é mais do mesmo. Nem valia a pena gastarem uma sessão do Colectivo para redigir isso. Bastava terem-me encomendado a prosa que eu saberia fazer melhor a vossa defesa. Por estranho que pareça.
Porque esta é manifestamente a estratégia de defesa errada.
Porque demonstra que o medo se instalou.
Só que não deve, não teme.
Ora, se teme...

Importam-se de repetir?

No Rostos Online:
«A linguagem do Secretariado do PS Moita, descontextualizada da linguagem e prática política deste partido e que é acompanhada por outros auxiliares no concelho, tem notoriamente o objectivo das próximas eleições autárquicas, sem preocupação com os problemas dos trabalhadores e das populações o PS vive apenas para a conquista do poder.” – refere um comunicado Executivo da Comissão Concelhia da Moita do Partido Comunista Português.»

É verdade que o comunicado da concelhia do PS é estranho na linguagem.
É verdade que não estou aqui a postar por causa das questões políticas em causa.
Mas o que é mesmo verdade é que não percebo o que é uma linguagem descontextualizada da linguagem.
Sei que deve ser falha ou falta de uma qualquer palavra.
Sei que não é caso raro nos documentos do poder moiteiro e da força que lhe dá cobertura.
Mas não iam contratar um linceiado em Língua e Literaturas?
Ainda não anda ao serviço para rever os documentos autárquicos e já agora os que saem da Dínis Ataíde?

Quantos, mais exactamente?

«As XV Jornadas Pedagógicas do Concelho da Moita, realizadas no dia 20 de Abril, contaram com a presença de vários professores.» (O Rio)

Sinto-me herético


E olhem que não há falta de quem me queira chegar os fósforos à lenha.

A FÉ !!!

Do site da Câmara Municipal de Viana do Alentejo:

«De 25 a 29 de Abril realiza-se pelo sétimo ano consecutivo a Romaria a Cavalo que liga a vila da Moita a Viana do Alentejo, num percurso total de 150 quilómetros.A cavalo ou de charrete, centenas de romeiros oriundos de vários pontos do País, partem dia 25 de Abril da Moita com a imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem em direcção a Viana do Alentejo, onde chegam dia 28, por volta das 17 horas, ao Largo de S. Luís.
A fé, o convívio e o manter viva uma tradição antiga quando os lavradores da Moita se deslocavam ao Santuário de Nossa Senhora D’Aires para pedir protecção para o gado e boas colheitas, têm atraído cada vez mais participantes, no entanto, muitos deles integram a iniciativa desde o início.»

O que faz mover a malta é a fé, só a fé...

BOMBÁSTICO

Vi o Paulinho Portas na televisão e ele estava sem madeixas.
Assim a Isabel Queiroz do Valle vai à falência se ainda não foi.

domingo, abril 22, 2007

Por cá há muitos destes



Cartoon de Chris Madden

O que se passa pela ex-Norporte?

O Brocas chamou a atenção e bem para as movimentações que por ali se têm passado nos últimos dias.
Será que vai ali nascer o 67º espaço do projecto Alhos Vedros Cultural?
Ou será apenas para armazenar maquinaria, na falta de outro estaleiro?

Sobre o Nazismo, o Fascismo e o Salazarismo

Hitler é uma coisa Mussolini é outra e Salazar é outra completamente diferente.

Hitler era um racista genético, criou um regime socialista para uma raça, os arianos, a partir daí todas as raças "inferiores", foram roubadas e algumas como aos judeus tentou-se exterminá-las, desse facto criou uma riqueza substancial, (só em dentes e objectos de ouro dos judeus, foi um ver se te avias...) que até deu para alimentar uma máquina de guerra imensa que possibilitou à Alemanha aventurar-se na 2ª guerra Mundial com o apoio de Mussolini e Staline.

Mussolini começou uma aventura anti-burguesa, nos princípios revolucionários do fascismo nos anos 20, do séc. 20 e criou uma ideia de estado corporativista, o Fascismo que Rolão Preto em Portugal tentou copiar, mas que a Salazar lhe era hostil, devido ao carácter anti-burguês, anti-clerical e urbano do fascismo, Salazar contrapôs a isso uma realidade Portuguesa diferente, o latifúndio agrícola a aliança com empresas que monopolizavam sectores básicos da Indústria, como as massas aliménticias, as cervejas, etc. e também uma concordata com a Igreja Católica, o que criou um centro de interesses comuns que fez o Salazarismo aguentar-se durante quase cinco décadas.

E depois admiram-se...



Depois do cómico, o anúncio assustador.

É Domingo na Aldeia



Autor irreconhecido.

Os Grandes Comunistas do Concelho da Moita # 10



Será que ainda existem comunistas no nosso concelho?
Não será isso um mito piedoso?
Esta é a outra opção óbvia, para quem anda descrente com quem anda por aí a dizer que é comunista e todos sabemos não ser.
Nós achamos que ainda há alguns, antes de mais porque conhecemos ou somos parentes de alguns resistentes heróicos.
Mas há quem não tenha essa experiência e apenas veja os que dizem ser comunas, os que pensam que ainda são comunas e os que se limitam a adquirir o cartão para tratar da sua vida e não querem que ninguém chateie a situação que lhes dá emprego e que fazer.
Porque ser comunista a sério, realmente é coisa difícil e tanto pior e contraditória quanto se esteja do lado do poder e se defenda a liberdade só ás vezes quando dá jeito.
Porque há quem ache que ser comunista é defender uma situação de poder, só porque ela convém.
Ora nada de mais contraditório.
Os esgalgados que se andam a chegar à frente, a dar a cara, a bater no peito como se tivessem muita fé, não passam de comunistas-novos que, tal como os cristãos-novos, pseudo-convertidos, precisam de exagerar nas manifestações externas da fé para encobrirem a reserva moral interna ou o que sabem ser uma falsa crença.
E isso é o que há por aí mais e que bem se reflecte na nossa sondagem, em que quase 30% das respostas não enganam.
Comunistas aos molhos já houve.
Agora são mais raros que ostras saborosas no Tejo.


(os resultados finais da sondagem serão divulgados apropriadamente na 4ª feira, dia 25 de Abril)

sábado, abril 21, 2007

AVP MusicALL



ÓIÉ!
E quem achar que isto é sacrilégio ou é jotinha ou é kota.

AVP Divulgação


5 a 20 de Maio
III FESTIVAL INTERNACIONAL DE BANDA DESENHADA DE BEJA


Entre os dias 5 e 20 de Maio, o Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja volta a vincar a silhueta da cidade.

Exposições de autores portugueses: Alice Geirinhas; André Lemos; Artur Correia/António Gomes de Almeida; Augusto Trigo; Gisela Martins e Sara Ferreira - mangakas portuguesas; José Manuel Saraiva; Maria João Worm; Pedro Rocha Nogueira; colectiva “Toupeira”, com Carlos Apolo, Carlos Páscoa, Inês Freitas, João Lam, Lobato, Luís Guerreiro, Maria João Careto, Paulo Monteiro, Pedro Ganchinho, Susa Monteiro, Véte, Vitor Cabral, Zé Francisco e Zé Pedro); e a retrospectiva "Dois anos de Bedeteca”.

Exposições de autores estrangeiros: David B. (França); Max (Espanha); Miguelanxo Prado (Espanha); Ulf K. (Alemanha); e a colectiva “Desde Galiza” (Galiza/Espanha), com David Rubín, Diego Blanco, Emma Ríos, Kike Benlloch, Kiko da Silva, Miguel Robledo e Victor Rivas.

Além da Casa da Cultura, que funciona como “coração” do Festival, o evento estende-se por todo o centro histórico: Conservatório Regional do Baixo Alentejo, Galeria do Desassossego, Museu Jorge Vieira - Casa das Artes, Museu Regional de Beja, Núcleo Visigótico – Igreja de Santo Amaro e Pousada de S. Francisco.
Sete núcleos expositivos onde se mostram algumas das tendências mais relevantes no campo da banda desenhada contemporânea, incluindo ainda o Pax Julia - Teatro Municipal, que volta a acolher parte da programação paralela.
Mais de 40 autores, 15 exposições patentes ao público, mais de 450 originais em exposição… Maio é o mês da banda desenhada no Sul do país…

bedetecadebeja@yahoo.com
Site disponível brevemente

Organização: Câmara Municipal de Beja
Parceria: Museu Regional de Beja
Apoios: Edições Devir, Goethe Institut, Instituto Franco-Português, Alliance Française, Instituto Cervantes
Outros apoios: EDIA, Pousadas de Portugal, Conservatório Regional do Baixo Alentejo, Galeria do Desassossego, CNBDI
Patrocínio: Região de Turismo Planície Dourada

Lá como cá


A todos os níveis.
A FCC é a comissão federal que nos EUA regula, entre outros aspectos, a liberdade de expressão nos meios de comunicação social - TV e Rádio - e que multa quem diz palavrões nas emissões ou faz comentários tidos por incovenientes.
Na era Bush tem caído sobre muitos dos comunicadores mais incómodos, levando por exemplo o mítico Howard Stern a migrar para uma estação de rádio por satélite que foge à regulação americana e emite num sistema de assinatura.
Por cá, seja a nível nacional como local, há muito boa gente que tem em si uma costela de agente da FCC, uma espécie de Federação dos Censores Camuflados.

A eminência parda do regime



Pina Moura representa tudo o que de mais detestável tem o vira-casaquismo político e a promiscuidade entre política e negócios.
É do PS, já foi do PC, mas poderia ser do PSD, do CDS ou de qualquer outro partido encostado ao poder.
Este homem é um mero envólucro, sem alma definida, de cor indefinida, cujo conteúdo se enche conforme as circunstâncias.
Depois da venda a Castela, de quem se tornou o comissário junto do regime português, acumulamdo funções de deputado e administrador da Iberdrola, agora passa a administrador da TVI em aliança com a também castelhana PRISA.
Talvez ainda mais do que as nomeações de Fernando Gomes para a GALP e de Armando Vara para a CGD, esta é a jogada mais nauseabunda do socratismo, Aqueles dois não passavam de dois aparelhistas descartáveis a quem era necessário arranjar tachos grandes onde afocinhar para se calarem. Pina Moura já não é assim porque ao espírito aparelhista que desenvolveu em 40 anos de vida junta uma voracidade e um maquiavelismo ambicioso que o tornam um perigo para todos nós e para o interesse público.
Depois não digam que não avisámos.

sexta-feira, abril 20, 2007

Até amanhã Kamaradas...


Os internacionalistas nazis, que devem ser impedidos de usar a bandeira da minha Pátria nas suas manifestações e apenas devem usar a suástica invertida que hitler usurpou aos arianos verdadeiros que são uma casta da India, afinal amanhã já não vão estar todos presentes, mas pelo que sei os nazis da alemanha de leste vão lá estar e ainda nos puderemos divertir um pouco a vê-los a sangrar nas sargetas com as suas namoradas aos gritos.
O ÓDIO tem de continuar, só a morte os pode libertar da grilheta de acharem que são uma raça superior, Deus pode dar-lhes o perdão, nós apenas temos de fazer o possível para libertar a espécie humana desta escumalha, para limpar a humanidade desta sub-espécie, os nazis filhos da puta. Que o sangue impuro destes animais selvagens seja lançado à terra e que as crianças brinquem com os seus despojos carnais como se fosse isso uma dádiva divina, que as suas casas sejam destruídas e o chão que lhes está embaixo seja salgado e nada mais cresça de vegetal nesses fulminados antros nazis, que a morte lhes aparente ser uma benesse para lhes acabar com o sofrimento que merecem ter e que deve ser lenta e muito aplaudida por todos.
Os nazis têm de ser destruídos como as baratas, esmagados. Campos de trabalho terão de ser criados para que os reincidentes nazis possam reaprender a sua condição humana e talvez alguns possam evoluir para um estágio superior, o que duvidamos, mas só o poderemos comprovar selecionando-os e experimentando-os, nem todos os nazis serão iguais. Um indíviduo pode nascer duma família racista e ser um racista apenas porque o ambiente familiar o levou a isso...

Nem todos os nazis precisam de ser eliminados, apenas a maioria, os outros podem ser aproveitados para o desenvolvimento da miscigenação e darem a sua vitalidade para a construção da nova espécie humana, miscigenada.

Isto é apenas um exercicio sobre o ódio, é o que dá, quando se lê muito muito o "mein kampf" e depois se inverte a concepção...

Os Grandes Comunistas do Concelho da Moita # 9



Nós mesmos, é claro.
Porque muitas razões, mas quase todas do género "não somos nós que somos bons, os outros gajos é que são mesmo medíocres".
Porque é óbvio que mesmo nunca tendo pertencido ao "Partido" como a maior parte das nossas famílias, nem que seja por contágio e solidariedade familiar, contemos ainda muitas moléculas intrinsecamente comunas.
E mesmo sendo apenas meia dúzia essas moléculas chegam e sobram para ganhar à maior parte dos pseudo-comunas do concelho, que só têm cartão porque dá emprego e bilhetes à borla para certos eventos.
Porque até percebemos o que é o comunismo e admiramos o ideal, desde que tirem de lá a parte da ditadura do proletariado e avancem logo para a fase comunitária e ibertária, irmã gémea da anarquia no bom sentido.
Porque lemos os clássicos e os conhecemos, não tendo apenas ouvido falar nas coisas e lido as sebentas da formação política.
Porque somos livres e queremos assim continuar.
Porque conseguimos ser uma célula clandestina e subversiva activa apesar das ameaças de perseguição e das ofensas mais variadas.
Porque não receamos enfrentar um poder que gostaria de ser totalitário e abafar as vozes rebeldes.
Porque sabemos que temos razão e não temos medo da verdade.
Porque não pactuamos com os colaboracionistas oportunistas e com situacionistas.
Porque não chamamos fascistas de forma gratuita a ninguém só porque deles discordamos.
Enfim, porque não somos falsamente modestos...
... nós é que somos os veldadeilos comunistas.


Novidade Mundial

A primeira romaria católica integrada nas comemorações do 25 de Abril promovidas por uma câmara comunista.
Anunciada na página 11 do jornal Margem Sul, canto superior direito.
Quando tiver cópia em papel digitalizo para guardar na galeria dos "Momentos Mais Deprimentos Deste Concelho".
E olhem que não são nada poucos.

Mais um momento de humor



Será que a parte do Abel Xavier é demasiado ousada?
Xenófoba, sei lá?
Demasiado contundente para os louros, talvez?

Momento Sério de Humor



Será que este humor é aceitável?
Politicamente correcto q.b.?
Ninguém vai vetar ou achar de mau gosto?

É sexta-feira, pá!

Quem trabalha a sério não tem tempo para postar.
Caso contrário, não há fim de semana que resista.
Por um lado parece que foi bom, porque pelas notícias que tive, chegar à santa terrinha ao início da tarde era coisa boa para um hovercraft, tanto junto à rotunda da BP na Moita (aquela impermeabilização toda ao lado da ribeira foi muito boa ideia, coisa mesmo competente) como entrando pelas Fontaínhas (parece que apesar do declive, a chuva decide sempre fazer uma piscina a meio da Av. 1º de Maio).
Assim já cheguei com tudo sequinho.

quinta-feira, abril 19, 2007

Em protesto pela detenção de militantes do PNR



A população amoitada, a começar pelos que mostraram ter ligações a simpatizantes daquele movimento mas não quiseram dar a cara na fotografia, protesta e com razão.

(registe-se para memória futura que a um dos av's até doeu usar a imagem do seu amigo Faim nesta notícia bombástica)

E que tal passarem por aqui?

Do Público de hoje:


Porque não adianta ser todo progressista a norte do Tejo, se a Margem Sul fica entregue aos lobos.

A Juventude Censora Portuguesa

Do Diário de Notícias:
«Ricardo Araújo Pereira vetado por comunistas
Ricardo Araújo Pereira foi vetado pela Juventude Comunista Portuguesa (JCP), que inviabilizou uma intervenção do humorista nas próximas celebrações do 25 de Abril. A proposta, originalmente feita pelo representante da Juventude Socialista (JS) nas reuniões preparatórias da comemoração do 33.º aniversário da Revolução dos Cravos, esbarrou com a intransigência da JCP, que sugeriu nomes alternativos ao do "Gato Fedorento", ex-militante nas fileiras comunistas. A falta de consenso entre as forças políticas representadas na comissão promotora inviabiliza a intervenção de um representante dos jovens portugueses no comício do dia 25 em Lisboa, o que acontece pela primeira vez.»

Não há qualquer volta a dar a esta gente de mente mesquinha e hábitos que têm muito de salazarento, apesar da escassa idade.
Estes "jovens" revelam o pior que existe no aparelhismo jotinha de qualquer partido.
Neste caso é tanto mais grave porque gostam de afirmar-se contra a censura e a favor da liberdade.
São uns hipócritas.
Como os que temos por cá, formados nesta escola vergonhosa do Pensamento Único, que perante a diferença optam pelo silenciamento e pela tentativa de ataque pessoal.
Os assessores comunicacionais, meninos ou meninas.
Gente sem vida própria que não a oferecida pelo aparelhismo.
Pelos empregos dados pela submissão canina.
Gentinha cinzenta, incapaz de um sorriso inteligente.
Gentinha com saudades da ditadura.
Da sua ditadura.
A que não chegou a existir.
Onde poderia abafar todos os que são diferentes.
Os que pensam por si.
Os que desalinham.

E ainda há merdinhas que depois usam vídeos do Gato Fedorento quando lhes dá jeito.
Vergonha e muita faz falta aos Jovens Censores Portugueses.

Desespero

Já notaram que quando o fogo começa a arder mais forte pelas bandas do poder moiteiro, começam as ameaças e ataques pessoais naquele lugar onde todos, mas todos, são puros e politicamente correctos e não gostam de ataques pessoais.
O mais giro é andarem aos tiros no vazio e no escuro, para ver se acertam.
Por mim, estejam à vontade, denunciem todas as minhas ligações partidárias, todos os meus projectos chumbados pela câmara, todos os meus interesses imobiliários, todas as minhas inimizades pessoais.

Será que não notam que isso só revela desespero?
Eu estou trankilo.

Barreira de Fogo - A confirmação

Na tertúlia amoitada, em absoluto desnorte, sucedem-se os comentários trauliteiros tão ao gosto da gestão moiteira que critica que não dá a cara e depois manda a miudagem aparecer.
Sim, se vos dá jeito assim pensar eu sou fascista, apresentei projectos pessoais à câmara que não foram aprovados e ando numa cruzada anti qualquer coisa.
Se ainda quiserem não percebam que identifiquei como técnica da câmara uma das pessoas da dupla Paula&Paulo no post abaixo e não duas.
Afinal, esperar que saibam ler e tenham um mínimo de decência é esperar muito de quem só aprendeu a discutir à traulitada.

E espero ansiosamente pelas novidades bombásticas sobre isto e aquilo.
Se forem iguais às da Independente, serão extremamente interessantes.
Realmente há tascas que quando o vinho azeda, ficam empestadas e há que voltar a evitar passar sequer à porta.

Barreira de Fogo

Estamos um mês da realização - inesperada para muitos, em especial pela rapidez da organização e pelos apoios e participantes de vulto que foi conseguindo - da Conferência sobre Mais Valias Urbanísticas.
O poder moiteiro, no seu habitual autismo e na sequência da actual política de se não são controlados por nós, são contra nós e vamos boicotá-los, preferiu não aderir à iniciativa, assim explicando de que lado está.
Para fingir que tem algo a dizer sobre o assunto, mas principalmente com o objectivo de denegrir a imagem de quem está a colocar de pé um acontecimento desta monta, deu ordem para os aparelhistas de 2ª e 3ª linha produzirem prosas sobre o tema, onde a qualidade técnica roça o zero e a opinião política impera, mas onde se nota principalmente o acinte, a raiva e o desejo de amesquinhar e denegrir quem incomoda.
Nesse esforço inglório, porque as capacidades são evidentemente fraquinhas, fraquinhas, parece que o asessor multiusos recebeu o reforço de uma dupla Dupond e Dupont, só que em versão masculina/feminina (não será a mesma pessoa?) que dão pela nome de Paula&Paulo.
Pelo menos num dos casos é reconhecidamente alguém que existe e sobrevive porque o poder moiteiro lhe paga com dinheiros públicos para defender interesses particulares e partidários a partir de um cargo técnico-administrativo.
Mas veremos como serão essas pessoas - técnicos que deveriam conhecer as limitações das suas funções, em especial no horário de trabalho que é pago com salário resultante do dinheiro de todos nós - que irão fazer o trabalho sujo que o pessoal político de primeira linha não tem a coragem e/ou verticalidade de assumir.
E esta é uma promiscuidade vergonhosa.
Será que os responsáveis políticos pelo urbanismo no concelho nos últimos anos não têm nada para dizer ou nem sequer sabem o que dizer?
Ou será que não gostam de dar a cara, escondendo-se atrás dos mini-mes?

São estes aparelhistas sem vida profissional própria, independente do aparelho, que irão ser mandados espalhar as bostas pelo caminho de quem tenta erguer alguma coisa.
Dizem que usam argumentos, mas na verdade não passam de meros leitores de cassetes.
Quanto aos patrões, àqueles eleitos que nem um ofício sabem escrever sem debitarem baboseiras, apenas esperam o momento de serem remodelados por razões de ordem pessoal, apesar da qualidade do trabalho desenvolvida de conçiênçia trankila.

quarta-feira, abril 18, 2007

Sporting na final da Taça !


O Sporting jogou muito bem e são jogos destes que nos fazem gostar de futebol, o Beira-Mar jogou como um leão, especialmente durante a segunda parte e mostrou ser um adversário de respeito e um grande clube que dignifica Aveiro.

Parabéns aos dois clubes por esta lição de futebol.
*mas onde é que eu já vi aquelas gravatas ?

Heróis do Mar...



(chegada por mail amigo)

Serviço Público

O Portal de Sites e o 1000 x 1000.

Era mesmo, mesmo necessário...

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

... que a tão atrasada rotunda tivesse de ficar exactamente no local onde restava aquele velho renque de oliveiras?
Quando mais vejo a obra deste poder moiteiro, mas me anoja o pobre do neurónio.
Gente estúpida esta!
Não há que poupar palavras.
Nada de perturbar o estacionamento da Kleo para os seus engates serôdios de 4ª à tarde.
O raio das pobres é que estavam a atrapagar o Progresso.
O mais triste é que mesmo que saia pela porta pequena esta gentinha já deixou a sua nódoa para sempre marcada.

Humor filosófico



Cartoon do ede Bandeira

E por estas bandas?

Nas últimas semanas ficámos a saber que 40% dos representantes do Poder Local Democrático não fazem as suas obrigatórias declarações de riqueza e que a esmagadora maioria das autarquias não faz a avaliação do desempenho dos seus funcionários.
Alguém me sabe dizer como é por cá?
Os eleitos também se cortam nas declarações?
E os funcionários, são todos muito bons, com classificação bem marcada a vermelho?

Isto só lá vai de borla


Surge mais um jornal local nos arredores. Depois do Margem Sul mais centrado jo Barreiro é a vez do Notícias Populares em Palmela.
Mas novamente de borla o que, se capta anunciantes, porque os jornais são quase enfiados à força na mão das pessoas (não é o meu caso, que ando á procura deles), por outro lado demonstra até que ponto são frágeis as motivações do público-alvo para adquirirem informação neste formato.