terça-feira, fevereiro 03, 2009

Árvore Emblemática foi Cortada no Clube Náutico Moitense


Texto e Fotos, enviado por Luís Guerreiro:

Na imagem vê-se a árvore frondosa e que dava uma sombra maravilhosa no Verão, é por isso que "eles" aproveitam o Inverno para as cortar!

Esta Árvore que me habituara a ver desde há 17 anos mesmo em frente da casa da minha esposa na Moita e que no Verão dava uma sombra frondosa, foi cortada e só hoje vi esta desgraça e é com muita tristeza que escrevo estas palavras de revolta para os mentores de tal acto, que seja qual for o motivo, não acredito que haja justificação para este crime. Onde estão os Verdes que fazem parte do governo local da moita e nunca estão presentes para evitar este contínuo corte de árvores no concelho.

Se fosse sócio do CNM, ou me explicavam muito bem o porquê desta decisão ou demitir-me-ia imediatamente, assim apenas nunca mais lá vou, nem sequer ao restaurante...

Tenho a certeza que as únicas árvores que irão deixar no concelho da Moita, são as da Av. Teófilo Braga, para que os moiteiros possam subir para elas quando há largadas e fazerem a festa do fogareiro.

Triste terra que acaba assim com todas as árvores em nome do progresso, ou seja lá do que for.

Luís Cruz Guerreiro

17 comentários:

Anónimo disse...

Oh Luís,

Até percebo a tua desilusão, mas o que é que o restaurante tem a ver com o corte das árvores?

Anónimo disse...

isto não tem nada a ver com a arvore, mas ontem assisti, por acaso,a uma sessão de esclarecimento sobre a rua 13 na bb. para meu espanto estava lá um sujeito, segundo me apercebi muito entendido na matéria, que até fala muito em orçamento participativo ( que concordo, sim concordo com o orçamento participativo) agora com as babuseiras que disse meu deus... então não queria que a Câmara levasse já o projecto feito ( claro para depois criticar) mas é isto que ele chama orçmento participativo? para mim participativo é participar e participar é dizer o que queremos como queremos e como fazemos... já agora o tal senhor dava por nome de Florival ou Fllorivaldo ou coisa parecida.

Fabrício disse...

Sr. Luis acho engraçado o seu comentário. Quem analise as suas palavras vê claramente que é uma pessoa cansada do dia a dia e que vive num conselho onde os espaços verdes não existem.
Como director do C.N.M. esclareço o seguinte:
-moro ao lado da casa de sua esposa e... estes prédios não teêm 17 anos;
- A arvore em questão estava a "levantar o chão da esplanada e de todo o edificio, e, como não fazemos intenção de lhe pedir um chão novo, optámos por cortar a arvore;
- nunca o Sr. Luís apareceu nas nossas instalações a oferecer a sua mão de obra para apanhar as toneladas de folhas caducas.
Por isso considero extremamente facil criticar o suor e empenho dos outros porque,creio eu, que se tivesse uma situação destas no seu quintal certamente a sua opinião seria diferente. Informo ainda que o restaurante está alugado a outras pessoas alheias a esta decisão, que depende esta da Direcção do Centro. Mesmo não sendo sócio como diz, deixe-me convidá-lo para se expressar junto da Direcção que todas as quartas feiras se reúne nas devidas instalações. Fica também mais um convite de que caso pretenda ajudar, nós vamos podar também as outras duas já no próximo Sábado se S. Pedro deixar.
Fabripereira

AAG News disse...

Sr. Fabricio, viver neste concelho quando se tem alguma sensibilidade, cansa e muito.
Já me disseram para mudar de concelho, mas não é fácil, embora seja cada vez mais pertinente essa questão...

A casa da minha mulher tem mais de 27 anos, está a confundir os edifícios, e que a árvore que cortaram tinha 17 anos posso garantir-lhe, ou dúvida da minha sinceridade?

Quase todas as árvores deste concelho foram cortadas, as que estavam ao lado da Igreja da Moita por exemplo, mas posso dar-lhe dez outros exemplos... em nome de qualquer coisa ou por qualquer motivo, neste caso diz que foi por causa de levantar o chão da esplanada, mas tenho a certeza que poderia ser um outro qualquer motivo, e pela sua conversa, "- nunca o Sr. Luís apareceu nas nossas instalações a oferecer a sua mão de obra para apanhar as toneladas de folhas caducas." perspectivo que a outra árvore emblemática que resta do seu clube também deve ir à vida, pois eu não irei limpar as TONELADAS de folhas que caiem, pois não sou sócio do vosso clube.

Quem gosta de árvores sabe que as folhas caem, isso é natural, quem não gosta de árvores qualquer motivo é o suficiente para as cortar.

Nunca imaginei que um clube tão conceituado dentro e fora deste concelho não tivesse os meios económicos para repôr o chão ou mesmo toda a esplanada.

O facto é que a árvore que cortaram era o tecto da esplanada, o que lhe dava sentido, quando no Verão os clientes do restaurante optarem por outros lugares mais aprazíveis, onde haja a sombra de uma árvore não devem lamentar-se.

Tenho três árvores no meu quintal e vou plantar uma quarta e é com prazer que trato delas, se fosse sócio do vosso clube não me importaria de fazer também esse serviço, pois gosto de árvores, é como gostar de cães, temos de lhes aceitar as pulgas.

Cumprimentos saudosos de, Luís Cruz Guerreiro

Anónimo disse...

Conheço, sem ser entendido em botânica, a árvore e lamento o sucedido.
Julgo tratar-se de um plátano que hoje, a nível nacional, poucos ou nenhuns são plantados por serem uma espécie incompatível/problemática no meio urbano.
Não sei, pelos seus custos, se a solução de ciclicamente refazer o chão da esplanada e do edifício está, nesta conjuntura económica ou em qualquer outra, ao alcance de um Centro Náutico ou lá de quem quer que seja. A solução, na minha modesta opinião, passará por plantações adequadas ao meio.

Em tudo isto só não percebo a tentativa de comprometer os "verdes" quando o acto, criminoso segundo o Luis, foi corajosamente assumido pelo senhor Fabricio Pereira, deputado municipal.

Para quem não conheça o personagem em questão, fica a informação: destacado e influente dirigente, dizem ser a esperança, no PS local e (não é de menor importância) irmão da senhora governadora civil do distrito de Setúbal, a Euridíce Pereira. Por isso e a partir de agora, considerando o elevado estatuto das pessoas envolvidas, recomendo respeito, tento na língua e muito cuidado com os comentários.

Com os respeitosos cumprimentos,
O vosso melhor amigo.

José Pedro disse...

tenham tento na lingua pois os deputados municipais estão acima de todos vós.
vai bardamerda "amigo"

Anónimo disse...

Gostaria de deixar aqui a resposta a um senhor que sem se assumir expressa a sua opinião acerca do assunto da arvore do CNM, mas que acima de tudo parece estar mais preocupado com a divulgação da minha pessoa. Devo lhe dizer que não sabia alguns dos factos apresentados por V. ex.cia, fico muito lisonjeado por saber que me considera uma figura de alto gabarito... e não querendo ofender ninguém ----- a esperança desta terra.Dado aos factos botânicos e com conhecimento de causa, por acaso podemos verificar (segundo diversas publicações) que o platano, ao contrário do sobreiro e da azinheira, não é considerado uma especie em vias de extinção. De resto, basta sair um pouco por este país fora e verificar que esta população de arvores não é assim tão reduzida como tenta expressar. Considero que existem, isto sim, uma serie de locais no nosso concelho onde o processo de reflorestação autoctene poderia ser seguramente bem implementado, ao contrário do que se tem verificado pelo corte abusivo de especies com maior sensibilidade. Informo-o também que economicamente para o CNM não é possivel a sustentabilidade economica com arranjos sucessivos dos edificios tal como o incontornável crescimento das raizes.

Por agora despeço-me com os melhores e sinceros cumprimentos na certeza de que na próxima vez se possa identificar para eu lhe poder enviar o meu C.V. para um elogio ainda maior.

Anónimo disse...

Sr. Luis
pela perspectiva das fotos julguei serem estas tiradas dos prédios da rua Ary dos Santos.
Estas arvores têm mais de 20 anos talvez 30.
Informo-o que o clube é conceituado não pelo paraiso economico (como possa pensar) mas sim pelas pessoas que delem fazem parte, pelo suor e pelo trabalho desempenhado ao longo dos anos.
Ainda existem não uma mas duas arvores identicas que irão apenas ser alvo de um tratamento de poda. Não é nossa intenção cortá-las mas sim tratá-las de maneira correcta até porque há vários anos que já deveria este trabalho ter sido feito.
O grupo de trabalho que neste momento está à "frente" desta colectividade é um defensor da natureza pelo que não passamos o tempo todo sob o betão, nós gostamos dela a nossa actividade assenta nos factores naturais e do meio ambiente, mas existem situações que alguém tem de ter atitudes menos sensatas (se assim consideramos) para que as actividades possam-se desenvolver. Eu não sei se quando a estrada da marginal atravessar as nossas instalações alguém irá derrubar as 2 restantes, mas por isso não lhe posso responder.
Desejo-lhe os meus sinceros cumprimentos e uma boa plantação para o seu quintal.

Anónimo disse...

Atenção-- Mandei duas opiniões em anónimo porque não me lembro de como por o nome.opssssssss
Fabricio

Anónimo disse...

O "nosso melhor amigo" , mais conhecido pelo manuel madeira ou preto de alhos vedros continua atento.

Anónimo disse...

Luís Guerreiro tu nao és aquela gajo perneta muiiiiiita feio?Não tens vergonha de sair à rua? Ainda bem que já legalizaram o aborto.

AAG News disse...

Não, eu sou muita lindo, e apenas levemente coxo, deves estar a confundir-me com alguém da tua família.

Mas concordo contigo, ainda bem que legalizaram o aborto.

:D

Luís (levemente coxo) Guerreiro

Susana disse...

Muito a propósito, hoje foram cortados todos os eucaliptos que rodeavam a recém-encerrada escola primária das Arroteias, em frente ao antigo Trilho. Deprimente e revoltante. Espero que haja uma boa justificação, coisa em que não acredito.

AV disse...

É a política de corte sistemático de todas as árvores deste triste concelho moiteiro, nada pode ser feito por Alhos Vedros com um governo local na Moita que nada sabe das necessidades da população de Alhos Vedros.

A solução é a independência do concelho de Alhos Vedros pela secessão.

A política dos moiteiros eles que a suportem, porque pelos vistos suportam tudo, até dão a vaselina para serem enrabados, ninguém mais da Moita, a não ser o levemente coxo, e nosso amigo Luís Guerreiro, que anda amoitado por amor há 17 anos se reviu na revolta sentida de cortarem as árvores como se cortam batatas.

AVP

Anónimo disse...

Será que cortaram hoje as árvores porque a Sra. Presidenta loira Fernanda Gaspar, andou na rua a mostrar o seu EXECUTIVO?

Será que começaram fianlmente a "obrar"?

Anónimo disse...

O terreno onde estavam os eucaliptos não é particular? Não foi essa também umas das razões do fecho da escola?
Penso eu de que...

Anónimo disse...

Entre todos os males que se podam as árvores...Mas que as podam bem e por gente que saiba do ofício da poda, quer dizer, limpeza de árvores.

Da forma como têm podado as duas árvores que vão ficar, se não morrerem,elas ficarão sem jeito nem trambelho.

De qualquer forma lamento o sucedido.

Estou de acordo com aquele que diz que o concelho da Moita, em termos ecológicos ou ambientais, incluindo a floresta está de rastos.

Quanto à política, cada qual tome a que quiser..!