segunda-feira, fevereiro 25, 2008

Uma situação deplorável



Exmº Conselho de Administração da Sicasal - Indústria e Comércio de Carnes, S.A.

Bom dia!

Em nome e a pedido de dezenas de Cidadãos, escrevi-vos a 21 do corrente.
Os Senhores nada responderam.

Entretanto, o tempo foge.
A situação é insustentável todos os dias, a cada dia, hoje 25 Fev '08 mais do que ontem.

A Suinicultura ilegal da Barra Cheia[1], Alhos Vedros, 2860 Moita tem de fechar!

Não mais merda e mijo de porco para cima das nossas terras[2], não mais contaminação perigosíssima dos nossos solos e das nossas águas de beber!

O Estado de direito tem de funcionar!

Contra os prevaricadores! Contra os Poluidores[3]!

Contra o imobilismo cúmplice daqueles que nada fazem em defesa das Populações, alcandorados preguiçosamente em postos de responsabilidade do aparelho de Estado local, regional e central, de modo cego, surdo e mudo[4] face às aflições legítimas das Populações!

Educadamente,

A pedido dos Portugueses que assinam o Documento em anexo (4 fls)
25 Fev '08

antónio silva ângelo


[1] (ver Propriedade aqui, a poente da Azinhaga de São Lourenço conforme mapa de Localização ali).

[2] 4 lagoas a céu aberto com corrimento de efluentes 24/24 e 365/365 para as Propriedades com terrenos inferiores. Em tempo seco é uma desgraça. Com chuvas é uma catástrofe.

[3] E não basta que os poluidores venham a ser pagadores. Isso será normal. Mas não chega. Os poluidores devem CESSAR de poluir.

[4] Sem ofensa para quem não vê, não ouve e/ou não fala, que são pessoas iguais a nós em direitos e em igual dignidade. O que aqui se denuncia em sentido figurado é o Estado "fare niente", o Estado forte contra os fracos e agachado e omisso face aos fortes. Aquele 'Estado' que até parece que, face a um qualquer conflito de interesses, pergunta à partida: "Quem é o mais forte aqui?", para depois concluir "Castigue-se e corra adiante o sacrifício do mais fraco!"