sábado, maio 24, 2008

Bye, Bye, Estação...




Chorem agora utentes da comissão, lágrimas de crocodilo a comer a refeição.

6 comentários:

Anónimo disse...

E não podemos electrificá-los !

Cadeira Eléctrica

Anónimo disse...

desde há dois anos que a Câmara sabia e não disse nada. Se calhar pensavam que a REFER mandava aquilo abaixo e não dizia nada a ninguém. Anjinhos.

Zelupi disse...

A do Barreiro A já foi...

Anónimo disse...

Eu até sou pela manutenção do edifíco da estação. Afinal, ainda tenho na memória a leve imagem dos carregamentos de mercadorias que davam vida à nossa terra. E de levar as cartas para deixar na caixa do comboio correio. Mas também não devemos virar completamente as costas ao futuro. Se olhar de um modo correcto, além da simplicidade na disposição dos azulejos e do relógio (que já se foi), que tem a estação fisicamente de especial? Ok! Poderá vir a ser aproveitada para outro fim, estou de acordo. Mas se for mesmo abaixo, e no seu lugar houverem melhoramentos significativos nas condições e na qualidade do serviço prestado, acham que isso será assim tão mau? Eu também lamentei, há 10 anos atrás, a demolição de casas seculares na zona de Olivais. Mas hoje, alguém as trocaria pelo que de bom acontece na zona da Expo? Tenhamos um olhar modelável.

Zal

Anónimo disse...

O armazem já se foi, o resto vamos ver se não acontece o mesmo que a prisão, principalmente junto de que tem obrigação para defender o patrimonio, mas já autorizou a sua demolição... Esperemos que a vos lhe dou

J.A.Aldeia disse...

Reproduzo o comentário que escrevi no Brocas Vetus:

Normalmente quando existem alterações profundas na paisagem urbana, há um processo legal que obriga a um processo de consulta pública; imagino que a REFER sinta que não é coisa a que esteja obrigada, mas alguém lhe deveria explicar que,quando se mexe com a memória profunda de uma população, se deve dar-lhe conhecimento e ouvir a sua opinião antes.

Também tinha interesse em saber qual a opinião da CACAV sobre este assunto. Haverá algum comunicado oficial, ou página na net da CACAV? Pode até acontecer que o que está previsto seja razoável ou aceitável, mas alguém sabe o que será?

Sobre o anónimo que pergunta o que tem a estação de especial, ouso dizer-lhe que se faz essapergunta é porque não sabe que aquele edifício faz parte da memória colectiva da vila. Sou o autor da foto de cima, com nevoeiro, mas chamo a sua atenção para a foto de baixo: onde existe em Alhos Vedros uma tal paisagem, em que a factura humana (edifício, carris) se harmonize tão bem com a paisagem natural? (ainda que já um pouco danificada pela monstruosidade do viaduto).